COI decide não expulsar Israel

O presidente do Comitê Olímpico Internacional (COI), Jacques Rogge, rejeitou nesta quarta-feira o pedido do Irã, que queria a exclusão de Israel de todas as competições internacionais, por conta da ação militar contra os palestinos. A permanência ou não de Israel entre os filiados do COI foi discutida durante assembléia-geral da entidade, aberta nesta quarta-feira em Kuala Lumpur, na Malásia. De acordo com Rogge, ?a política não deve interferir no esporte?. Os iranianos acusam Israel de ?genocídio?. O chefe do Comitê Olímpico do Irã, Mostafá Hashemi, explica o pedido de exclusão lembrando que a posição do governo israelense contraria aspectos fundamentais do COI. ?A carta Olímpica fala sobre paz e cooperação e diz que não deve haver discriminação?, argumenta Hashemi. ?Os israelenses estão cometendo genocídio e com genocídio não é possível alcançar a paz?, explicou.Apesar da pressão do Irã - e de vários outros países árabes - o governo da Malásia - um país predominantemente muçulmano - forneceu as credenciais aos delegados de Israel e permitiu que eles acompanhassem normalmente as reuniões.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.