COI espera decisões sobre casos de doping de russos em Sochi para o próximo mês

Comitê deu prioridade para exames envolvendo atletas que procuram competir nos Jogos de Inverno de 2018

Estadão Conteúdo

19 Outubro 2017 | 10h58

Investigadores do Comitê Olímpico Internacional (COI) esperam ter um "número" de casos de doping envolvendo russos na Olimpíada de Sochi resolvidos no final de novembro, mas não vão definir se esses atletas estarão elegíveis para os Jogos de Inverno do próximo ano em Pyeongchang.

+ Rússia arquitetou megafraude de doping no Rio-2016

+ Casal que delatou doping russo diz que esquema continua

Os líderes de uma comissão do COI encarregada de revisar 28 casos envolvendo atletas que competiram em Sochi-2014 escreveram para o comando da Comissão de Atletas do COI esta semana para atualizar a situação dos casos decorrentes de um relatório detalhado sobre o esquema de doping russo na Olimpíada de Inverno de três anos e também antes do evento.

+ Kremlin manipulou doping em praticamente todos os esportes

Denis Oswald disse que dos casos em que o comitê está revisando, a prioridade foi dado àqueles envolvendo atletas que procuram competir em Pyeongchang, especialmente em relação aos seis esquiadores de cross-country cujas suspensões provisórias expiram em 31 de outubro.

Oswald também explicou que seu comitê vai tomar decisões envolvendo os resultados dos atletas nos Jogos de Sochi, mas não determinará sua elegibilidade para Pyeongchang, apenas entregando evidências às respectivas federações esportivas, que tomarão suas decisões.

O COI também nomeou uma força-tarefa para examinar o escândalo de doping russo em conjunto, cujos resultados podem ter repercussões mais amplas na elegibilidade do país nos Jogos Olímpicos do próximo ano. "Espero que o Comitê Executivo do COI ainda tenha condições de tomar uma decisão este ano porque nenhum de nós quer que uma questão séria como essa ofusque a próxima Olimpíada", disse o presidente do COI, Thomas Bach, em uma carta separada enviada para as lideranças esportivas do mundo.

A divulgação das informações ocorre em um momento de crescimento da pressão para que a Rússia não participe da Olimpíada de Inverno de 2018.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.