COI: notas das cidades refletem a verdade

O presidente do Comitê Olímpico Internacional (COI), Jacques Rogge, afirmou que as notas dadas pelo relatório técnico de sua entidade às cidades que pretendiam ser sede dos Jogos Olímpicos de 2012 refletem "a verdade" sobre a situação de cada candidata. Na terça-feira, o COI anunciou a eliminação do Rio de Janeiro, Havana, Istambul e Leipzig na disputa para ser sede do evento. Um dos principais motivos teria sido a nota baixa recebida pela cidade carioca no quesito segurança e infra-estrutura, mas o ministro dos Esportes, Agnelo Queiroz, preferiu acusar o COI de ter tomado uma "decisão política" ao retirar o Rio da competição. "Essas notas não são subjetivas. Temos que dizer as verdades e não ser vagos ou diplomáticos sobre cada uma das cidades",afirmou Rogge. Para ele, as cidades que não atingiram a nota mínima "não convenceram (o COI) de que, mesmo com seus projetos, estariamprontas para realizar o evento". Entre as nove cidades que buscavam organizar os Jogos, apenas cinco foram mantidas na competição: Moscou, Nova York, Paris, Londres e Madri. Para que fossem classificadas para a fase final, as cidades precisariam ter nota acima de seis. No caso do Rio, as notas ficaram entre 4,3 e 5,1 e a candidatura acabou com uma das três piores. Rogge, porém, reconheceu que o COI deu uma chance a Moscou, que havia tirado notas entre 5,5 e 6,5. A delegação do Rio chegou a afirmar que o presidente russo, Vladimir Putin, teria feito chamadas a Rogge para garantir que Moscou estivesse na fase final da competição. Para o COI, porém, a ajuda dada seria justificada pela "experiência que os russos tem em preparar competições esportivas".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.