COI pode tirar ouro de ciclista após admissão de doping

Tyler Hamilton consumiu substâncias proibidas e pode perder medalha da Olimpíada de Atenas

AE-AP, Agência Estado

20 de maio de 2011 | 10h05

LAUSANNE - O Comitê Olímpico Internacional (COI) pode tirar a medalha de ouro ganha por Tyler Hamilton nos Jogos de Atenas, em 2004, depois do ciclista norte-americano admitir ter se dopado durante a sua carreira. Thomas Bach, vice-presidente do COI, disse que o comitê vai analisar as declarações do ciclista.

Em entrevista ao programa de TV 60 Minutes, Hamilton assumiu que se dopou e disse que Lance Armstrong fez o mesmo. "Se houver alguma necessidade ou possibilidade de tomar medidas, vamos fazê-lo", disse Bach, que comanda a maioria das investigações de doping do COI. "Vamos olhar isto", afirmou o dirigente, que disse não ter visto as declarações de Hamilton. 

A entidade pode retroativamente tirar medalhas olímpicas se a prova de doping surgir ou um atleta admitir o consumo de substâncias proibidas. O COI retirou de Marion Jones cinco medalhas dos Jogos de Sydney, realizado em 2000, depois dela ter admitido o uso de doping.

O comitê investigou Hamilton por doping após a conquista da medalha de ouro na Olimpíada de Atenas. Um teste inicial sugeriu que o norte-americano tinha recebido uma transfusão de sangue, aumentando a resistência. Mas o caso foi arquivado depois de sua contraprova ser equivocadamente congelada, deixando muitos poucos glóbulos vermelhos do sangue para serem analisados.

Se o COI desqualificar Hamilton, o russo Viatcheslav Ekimov, que havia faturado a prata, ficará com o posto de vencedor. O Comitê Olímpico da Rússia fracassou em 2006 em uma ação na Corte Arbitral do Esporte para dar ouro a Ekimov, que possui dois títulos olímpicos.

Tudo o que sabemos sobre:
OlimpíadaCOITyler Hamiltondoping

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.