Arnd Wiegmann / Reuters
Arnd Wiegmann / Reuters

COI pune mais quatro atletas russos por doping nos Jogos de Inverno de 2014

Dois esportistas perderam as medalhas com que haviam sido premiados em Sochi

Estadão Conteúdo

22 Novembro 2017 | 12h22

Às vésperas da decisão sobre a participação russa nos Jogos de Inverno de 2018, a Rússia voltou a virar notícia nesta quarta-feira por conta de doping. O Comitê Olímpico Internacional (COI) baniu de forma definitiva quatro atletas do skeleton, incluindo dois medalhistas na Olimpíada de Inverno de 2014, em Sochi, na Rússia.

+ Bronze no levantamento de peso em Londres-2012, russo é suspenso por doping

+ Anderson Silva cai em potencial doping, é suspenso e está fora do UFC Xangai

Os medalhistas são Alexander Tretyakov e Elena Nikitina. O primeiro foi campeão olímpico, enquanto Nikitina faturou a medalha de bronze na mesma edição da Olimpíada. Os outros atletas punidos são Maria Orlova e Olga Potylitsyna.

"Os quatro atletas foram declarados inelegíveis para serem aceitados em qualquer modalidade de todas as edições dos Jogos Olímpicos de Verão e Inverno após os Jogos de Sochi", informou o COI, em comunicado.

Os atletas também perdem as medalhas conquistadas nos Jogos de 2014. A entidade não revelou os detalhes sobre os testes antidoping. Segundo o COI, estas informações serão reveladas posteriomente. Além disso, o comitê informou que novos casos serão avaliados nas próximas semanas, o que pode complicar ainda mais a situação da Rússia em sua tentativa de disputar os Jogos de PyeongChang, na Coreia do Sul, em fevereiro de 2018.

No começo deste mês, o COI já havia punido seis atletas russos do esqui cross-country por conta de doping. Os casos fazem parte da longa investigação sobre o doping sistemático, e com o apoio do estado russo, nos Jogos de Sochi. Os testes positivos levaram a diversas punições no esporte russo e impediram esportistas do atletismo de participar dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, em 2016.

Em razão destes casos de doping em série, a Agência Mundial Antidoping (Wada, na sigla em inglês) manteve a suspensão à Rússia no dia 16 deste mês, por considerar que dirigentes e entidades do país não cumpriram duas exigências para serem liberados para competir internacionalmente.

Diante desta decisão e dos casos recentes, como o anunciado nesta quarta pelo COI, a Rússia fica em situação complicada para receber a decisão final do comitê, marcada para o dia 5 de dezembro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.