AP
AP

COI se diz impressionado com candidatura de Istambul para os Jogos de 2022

O orçamento em infraestrutura prevê o investimento muito maior que o das outras três candidatas

AE-AP, Agência Estado

27 de março de 2013 | 15h36

ISTAMBUL - O Comitê Olímpico Internacional (COI) saiu com uma "impressão excelente" da candidatura de Istambul aos Jogos Olímpicos de 2020 e sublinhou nesta quarta-feira que os investimentos em infraestrutura serão feitos independentemente de a Turquia ser escolhida para sediar o evento.

No encerramento de uma viagem de quatro dias para avaliar a candidatura de Istambul aos Jogos Olímpicos, Craig Reedie, vice-presidente do COI, disse que a comissão de avaliação ficou impressionada com o apoio do governo e das empresas ao pleito da cidade turca. "Temos visto o entusiasmo pelos Jogos aqui em Istambul", disse.

Istambul está competindo contra Madri e Tóquio. A comissão do COI já visitou as duas cidades. A entidade vai escolher a cidade anfitriã da Olimpíada de 2020 em votação secreta, no dia 7 de setembro, em Buenos Aires, na Argentina.

O orçamento de Istambul em infraestrutura prevê o investimento de US$ 19,2 bilhões, de longe o maior das três cidades candidatas, se comparado ao US$ 1,9 bilhão de Madri e aos US$ 4,9 bilhões de Tóquio. A ideia de Istambul é concentrar esses gastos no setor de transportes, um dos principais gargalos do país.

A Turquia, que vai comemorar o centenário da criação da república em 2023, diz que os projetos vão seguir, mesmo que a cidade não seja escolhida para receber a Olimpíada. "Isso é o que a cidade estima que vai gastar no momento dos Jogos", disse o diretor executivo do COI, Gilbert Felli. "Os trens, a estrada, a ferrovia, o desenvolvimento da nova cidade, isso é parte do que eles vão fazer de qualquer maneira para o aniversário de 2023 do país. Mesmo os Jogos não vindo para cá, isto será gasto".

Tudo o que sabemos sobre:
Olimpíada de 2020COIIstambul

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.