COI vai eliminar doping dos Jogos de Vancouver, diz Rogge

'Nós continuaremos nossa política de exames sem aviso prévio que podem eliminar atletas das competições'

Brian Homewood, REUTERS

14 de janeiro de 2010 | 15h00

O Comitê Olímpico Internacional (COI) usará uma série de medidas para eliminar os usuários de doping dos Jogos Olímpicos de Inverno de Vancouver do próximo mês, disse nesta quinta-feira o presidente do COI, Jacques Rogge.

"Nós continuaremos nossa política de exames sem aviso prévio que podem eliminar atletas das competições, o que é nossa principal arma na detecção de usuários", disse Rogge a repórteres.

Ele disse que o COI armazenaria amostras por oito anos, como tem feito com amostras dos Jogos Olímpicos de 2008, em Pequim. "Essa será nossa estratégia, exames direcionados. Isso significa que direcionaremos nossos exames de acordo com informações que recebemos de fontes bases, informações cruciais", disse Rogge. "Se observamos que um atleta está fora da competição por um longo período, tentamos descobrir o motivo."

"Se em dado momento observamos que um atleta está melhorando seu desempenho de uma forma que consideramos não ser muito natural, se nos exames de sangue observamos algo suspeito, novamente iremos nos dirigir a esse ou aquele atleta."

Rogge disse que o COI também solicitaria o auxílio do governo local, como foi feito em Turim há quatro anos. Na época, a polícia italiana revistou os locais onde membros das equipes austríacas de biatlo e esqui cross-country estavam hospedados e confiscaram produtos e equipamentos de doping, após agirem sobre uma informação fornecida por autoridades olímpicas. "Seis atletas foram desclassificados e alguns técnicos foram desqualificados permanentemente", disse Rogge.

O presidente do COI disse estar confiante de que os Jogos de Vancouver entre os dias 12 e 28 de fevereiro seriam um sucesso. "Estamos muito otimistas no COI pelo sucesso dos Jogos que estão por vir, principalmente porque nossos princípios são muito bons", disse ele.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.