Arquivo/AE
Arquivo/AE

COI veta revezamento internacional para tocha olímpica

Ideia é evitar manifestações contra o país-sede, como aconteceu com a China, que sediou os Jogos em 2008

AE, Agencia Estado

27 de março de 2009 | 09h55

O Comitê Olímpico Internacional decidiu proibir os revezamentos internacionais da tocha olímpica, antes de cada edição dos Jogos Olímpicos. Em reunião realizada em Denver, nos Estados Unidos, a entidade afirmou que a experiência, iniciada nos Jogos de Atenas/2004, fracassou no ano passado, antes de Pequim/2008, por causa dos protestos em vários lugares do mundo contra o regime totalitário chinês e a opressão ao Tibete.

Veja também:

linkApresentação do Rio a Jogos de 2016 é bem-recebida nos EUA

"Depois de 2004 já havíamos pensado que era melhor que a tocha não saísse do país, e depois do ano passado vimos que era melhor não repetir mais a experiência", afirmou o diretor-executivo da entidade, Gibert Felli. Em 2004, a tocha chegou a passar pelo Brasil durante o trajeto - no ano passado, a visita à América do Sul passou pela Argentina.

A decisão de evitar o trajeto internacional já havia sido tomada pelos organizadores da Olimpíada de Londres/2012 e também dos Jogos de Inverno de Vancouver, no Canadá, no ano que vem. A medida agora terá de ser tomada pelos responsáveis pelos Jogos de Inverno de 2014, marcados para Sochí, na Rússia.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.