Colega compara confiança de Magnussen à de Cielo

A implacável confiança do campeão mundial James Magnussen antes de cair na piscina só pode ser comparada à de Cesar Cielo, ao menos na opinião de um nadador olímpico que conhece ambos intimamente, o australiano Matt Targett.

IAN RANSOM, REUTERS

21 de junho de 2012 | 11h41

Ele já dividiu casa com o brasileiro durante treinos na Universidade Auburn, nos EUA, e continua sendo muito amigo do campeão olímpico dos 50 metros nado livre.

Agora, Targett, membro da equipe do revezamento 4 x 100 livre, tem dividido os treinos com Magnussen, favoritíssimo ao ouro na prova individual dos 100 livres na Olimpíada de Londres. Juntos, os dois já venceram a prova de revezamento no último mundial de natação, em Xangai.

"É difícil dizer por que (Magnussen) tem tanta confiança, mas é realmente impressionante", disse Targett à Reuters em Melbourne. "A única outra vez que vi isso em outro atleta foi com Cesar Cielo, com quem fiz faculdade."

"Então é legal de ver, porque conheço a mentalidade dele. Posso meio que entender sua psicologia, porque vi muitas vezes, especialmente com Cesar em 2008 e 2009, que foi quando ele estava no seu auge."

A tradição australiana na natação olímpica motiva uma onda de expectativa a cada quatro anos, mas isso às vezes atrapalha os favoritos. Foi o que se viu, por exemplo, com Eamon Sullivan, que bateu o recorde mundial dos 100 metros livres na semifinal da Olimpíada de Pequim em 2008, mas perdeu o ouro para o francês Alain Bernard.

Mas a Austrália recentemente viu a aposentadoria de grandes nomes da sua natação, como Ian Thorpe e Grant Hackett, o que faz de Magnussen a grande esperança do país em Londres.

Targett acha difícil que a pressão afete Magnussen, pois ele terá a prova do revezamento, já no segundo dia dos Jogos, em 28 de julho, para entrar no clima. A prova individual só começa três dias depois

"Não acho que essa pressão irá afetar o James, tomara, porque nosso revezamento é no segundo dia. Se ele tiver de desabar, vai ser nessa hora, mas não vejo isso acontecendo."

Na seletiva olímpica, em março, Magnussen marcou o tempo de 47s10, apenas 0s19 atrás do recorde mundial de Cielo, registrado no mundial de 2009, com o uso dos polêmicos supermaiôs.

Além de Cielo, só Bernard (46s94) e Sullivan (47s05) nadaram mais rápido depois da proibição dos maiôs.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.