Colômbia e Costa Rica, as melhores surpresas

Em minha opinião a seleção brasileira está bem. Discordo da maioria. Claro que tem potencial para jogar mais. A referência de todos é a Copa das Confederações do ano passado. A diferença é que numa Copa do Mundo a realidade é outra.

DECO

21 de junho de 2014 | 02h04

Na última partida, o Brasil teve dificuldades porque o México, que é uma seleção complicada, soube implantar um bom sistema de marcação, mas não conseguiu criar chances reais de gol.

Acredito que a equipe do Brasil irá passar sem muitos problemas por Camarões e vai acabar como primeira do grupo. A partir daí, o nível de dificuldade vai aumentar e a pressão cada vez mias será maior. Vai depender muito de como os jogadores brasileiros conseguem gerir essa pressão natural que já existe numa Copa do Mundo. Ainda mais, sendo jogada aqui no Brasil. O Felipão deve estar trabalhando esta situação desde o início. Sei que ele está atento a este detalhe.

As duas seleções mais surpreendentes nesta Copa são Colômbia e Costa Rica. A Colômbia eu já esperava que demonstrasse uma seleção forte e com qualidade. Lógico que, sem jogadores importantes, como o Falcão Garcia e outro atacante que eles perderam, eu achava que eles ficariam enfraquecidos.

Mesmo assim, a Colômbia se superou e está me surpreendendo porque, mesmo não tendo um jogador tão importante como Falcão, está conseguindo jogar um futebol de alto nível. Está ganhando os jogos e convencendo. Agora, a verdadeira surpresa, mas não só pelo futebol, que está jogando um futebol espetacular, com certeza é a Costa Rica. Repito. O camisa 10 Ruiz demonstrou muita qualidade e é o jogador que conduz o jogo e dita o ritmo da sua equipe. A Costa Rica é a surpresa mais agradável desta Copa. Pode ir mais longe na competição.

Os times sul-americanos estão conseguindo realmente levar vantagem e praticamente a maioria está caminhando para se classificar para a segunda fase.

Isso é bom e mostra a força que o futebol sul-americano tem tido nos últimos anos. Juntamente com a torcida que tem sido uma atração à parte nesta Copa. Até pela proximidade dos países e por estarem acostumados com os brasileiros no dia a dia.

Quanto à seleção de Portugal, realmente não começou bem. Infelizmente, foi um jogo complicado e que acabou perdendo um jogador. Foi um resultado que ninguém imaginava.

É óbvio que poderia perder, pois é normal jogando contra a Alemanha, mas não por 4x0.

Felizmente, ainda está aberta a possibilidade de classificação. Portugal continua dependendo dele próprio e tem condições de passar para a próxima fase.

Paulo Bento deve estar lembrando a situação que vivemos em 2004. No grupo há jogadores que passaram por isso. A reação com uma resposta positiva é possível. E os Estados Unidos não são uma grande força no futebol.

Tudo o que sabemos sobre:
DECO

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.