Colorados têm difícil missão de erguer a cabeça na despedida

O Internacional tenta resgatar um pouco do seu orgulho ferido pela derrota diante do Mazembe (2 a 0) na disputa do terceiro lugar do Mundial de Clubes, que ocorre como jogo preliminar à grande final (às 12 horas de Brasília). O difícil é encontrar motivação para enfrentar o Seongnam quando tudo que os colorados queriam era jogar com a Inter de Milão hoje.

, O Estado de S.Paulo

18 de dezembro de 2010 | 00h00

Os treinamentos da equipe gaúcha em Abu Dabi têm sido em clima de desolação. E será difícil para Celso Roth levantar o moral do time. Ainda mais quando alguns estão com seus dias contados no Beira-Rio, inclusive o próprio técnico.

A situação piora quando os torcedores colorados que restaram em Abu Dabi prometem fazer protestos contra a equipe durante o jogo no Zayed Sports City. Virar as costas para o campo e empunhar faixas com dizeres pouco agradáveis estão entre as cenas do roteiro da despedida melancólica do Inter dos Emirados Árabes. "Devemos levantar a cabeça porque a vida continua", pede o meia Giuliano.

Desculpas. Lúcio, zagueiro da Inter de Milão que já atuou entre os colorados, pediu desculpas à direção do clube gaúcho por ter dito que o Inter comemorou vitória antes da hora no Mundial.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.