Com 43 medalhas de ouro, Brasil está na dianteira dos Jogos Sul-Americanos

País continua com uma larga vantagem no quadro sobre a vice Venezuela

Nathalia Garcia, Enviada especial, Agência Estado

11 de março de 2014 | 21h50

SANTIAGO - Esta terça-feira não rendeu tantas medalhas para o Brasil nos Jogos Sul-Americanos, em Santiago. Mas entre as conquistadas boa parte foi de ouro. Com 90 ao total (43 de ouro, 18 de prata e 29 de bronze), o País continua com uma larga vantagem no quadro sobre a vice Venezuela, que soma 57 medalhas (21 de ouro, 12 de prata e 24 de bronze). O anfitrião Chile continua em quinto lugar.

A ginástica fechou a sua participação nos Jogos com bons resultados. Sérgio Sasaki faturou medalhas de ouro no salto e nas barras fixas e Péricles Silva ficou com o bronze nas barras paralelas. Entre as mulheres, Daniele Hypólito subiu ao lugar mais alto no pódio no solo. Enquanto isso, Jade Barbosa decepcionou e passou em branco.

Já o judô fez a sua estreia nesta terça e conseguiu 100% de sucesso. Os ouros vieram com Breno Bufolin (até 60 kg) e Jéssica Pereira (até 52 kg). O bronze foi de Gabriela Chibana (até 48 kg), substituta de Sarah Menezes, que ficou fora da competição devido à lesão nas costas. "O técnico me pediu para manter o foco e ir em busca do bronze. Graças a Deus, consegui conquistar essa medalha para o Brasil", disse Gabriela.

Os outros bronzes foram conquistados pela equipe de ciclismo de pista na prova de velocidade e pela patinação artística com Talitha Haas. A modalidade também rendeu um ouro com Gustavo Casado.

OUTROS ESPORTES

Mesmo com um time B, a seleção feminina de vôlei conseguiu buscar a vitória diante do Uruguai ao aplicar 3 sets a 0 - parciais de 25/15, 25/12 e 25/11. Nesta quarta, as meninas voltam à quadra para o jogo contra o Chile. Se vencer, a equipe nacional fica com a medalha de ouro.

No tênis, Paula Gonçalves atropelou a argentina Victoria Bosio por duplo 6/1 e se garantiu nas oitavas de final. A compatriota Gabriela Cé até aplicou um "pneu" e passou por Isabel Boada, da Bolívia, por 2 sets a 0, com parciais de 6/1 e 6/0.

No hóquei sobre grama, o time masculino perdeu para a Argentina por 6 a 1. O feminino, por sua vez, acabou derrotado pelo Chile por 5 a 0. Com o mesmo placar, a seleção brasileira feminina de futebol derrotou a Venezuela. O time, que empatou sem gols com o Uruguai na estreia, enfrentará a Colômbia pelo Grupo B. A partida será disputada nesta quarta.

No tênis de mesa, as equipes masculina e feminina venceram a Venezuela por 3 a 0. "Para o decorrer do campeonato, foi bom estrear assim, com uma vitória tranquila", comentou o agora treinador Hugo Hoyama. Entre as mulheres, Caroline Kumahara derrotou Gabriela Soto por 11/6, 11/6 e 11/9; Jessica Yamada venceu Angela Mori por 11/4, 11/7 e 11/6; e a dupla formada por Jessica Yamada e Gui Lin superou Maria Ortiz e Gabriela Soto com 11/9, 11/2 e 11/8.

No masculino, a vitória foi mais difícil. No primeiro confronto, Kazuo Matsumoto venceu Dario Toranzos por 3 a 0 (11/6, 11/8 e 11/2). Em seguida, Thiago Monteiro superou Aguirre por 3 a 1 (11/4, 7/11, 11/7 e 11/5). Por fim, a dupla Gustavo Tsuboi e Kazuo Matsumoto bateu Marcelo Aguirre e Axel Gavilan por 3 a 2 (9/11, 11/9, 8/11, 13/11 e 11/6).

Em Viña del Mar, o jovem talento João Victor Marcari Oliva, filho de Hortência, conquistou a medalha de ouro na final individual freestyle com o cavalo Xamã dos Pinhais. E o handebol feminino, atual campeão mundial, mostrou que continua com tudo ao arrasar o Paraguai por 35 a 8.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.