Com 5 ouros no último dia, Brasil mantém hegemonia no Sul-Americano de Atletismo

País termina competição disparado na liderança, com 352 pontos conquistados

Estadão Conteúdo

25 de junho de 2017 | 22h02

Com a conquista de mais cinco medalhas de ouros no último dia de disputas Campeonato Sul-Americano de Atletismo, o Brasil manteve a hegemonia que ostenta na competição encerrada neste domingo, no Estádio Comitê Olímpico Paraguaio, em Assunção, no Paraguai.

A equipe nacional fechou a classificação geral do evento disparado na liderança, com 352 pontos, sendo 164 por meio dos homens e 188 através das mulheres. Assim, fechou o Sul-Americano quase 100 pontos à frente da vice-campeã Colômbia, que somou 259, contra 160 da Argentina, a terceira colocada.

A vantagem no quadro geral de medalhas também foi expressiva para o Brasil, pois a equipe nacional faturou um total de 36 pódios, com 17 ouros, 12 pratas e sete bronzes. Já a Colômbia contabilizou 30 pódios ao topo, com nove ouros, 17 pratas e nove bronzes.

Neste último dia de competições, além de ganhar cinco ouros, o Brasil faturou três pratas e dois bronzes. Entre os competidores que subiram ao topo do pódio, Geisa Arcanjo venceu a disputa do arremesso do peso, com a marca de 18,06m, superando novamente o índice para o Mundial de Londres, marcado para agosto, que é de 17,75m.

A colombiana Sandra Milena Lemos levou a prata desta prova com 17,30m, enquanto o bronze foi obtido pela brasileira Livia Avancini, com 16,75m.

Já na prova dos 200 metros, a brasileira Vitória Rosa foi a campeã com o tempo de 22s67, abaixo do índice exigido para Londres, mas com a velocidade do vento acima da permitida. Entretanto, a velocista carioca já está qualificada para o Mundial.

Os outros ouros obtidos pelo Brasil no Sul-Americano neste domingo vieram com Tamara Alexandrino no heptatlo, com 5.667 pontos, pela equipe de revezamento 4x400m feminino formada por Jailma Lima, Jessica Roberti, Jessica Gonzaga dos Santos e Geisa Coutinho, com o tempo de 3min33s00, e no lançamento do martelo com Wagner Domingos, que atingiu a marca de 73,79m. Allan Wolski, também brasileiro, terminou com o bronze nesta prova, com 71,38m.

Também neste domingo, a seleção brasileira faturou a prata na prova dos 5.000 metros com Ederson Pereira. Ele terminou a disputa com o tempo de 13min59s20 e ficou bem distante do chileno Victor Aravena, ouro com 13min57s45.

Outra prata do País no dia foi obtida por Mateus de Sá no salto triplo. Ele saltou 16,70m, com vento favorável de 3.9 metros por segundo, enquanto o ouro foi conquistado por Miguel van Assen, do Suriname, com 16,94m e vento de 2.0 m/s.

A equipe brasileira formada Bruno Lins, Alexander Russo, Hugo Balduino e Lucas Carvalho também ficou com uma prata na competição na prova dos revezamento 4x400m masculino, na qual cravou o tempo de 3min07s32, enquanto o ouro foi conquistado pela Colômbia, com um tempo mais de dois segundos mais rápido: 3min05s02.

Finalizando as medalhas do Brasil no dia em Assunção, Julia Cristina dos Santos ganhou o bronze no salto em altura feminino, com 1,79m. Ela foi superada apenas pela colombiana Maria Fernanda Murillo, com 1,82m, mesma marca da segunda colocada, a uruguaia Lorena Aires.

Essa foi a 50ª edição masculina do Sul-Americano e o Brasil ganhou a competição pela 31ª vez entre os homens, sendo a 23ª de forma consecutiva. Já na disputa feminina, esta foi a 39ª edição, também com 31 triunfos do País entre as mulheres, sendo o 24º de maneira seguida.

Tudo o que sabemos sobre:
atletismo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.