Eugene Hoshiko/AP
Eugene Hoshiko/AP

Com alumínio reciclado, tocha olímpica é apresentada pelo Comitê Tóquio-2020

Objeto é tem design inspirado nas flores da cerejeira, árvore que é um dos símbolos do Japão

Redação, Estadão Conteúdo

20 de março de 2019 | 09h46
Atualizado 20 de março de 2019 | 19h22

Os organizadores da Olimpíada de Tóquio-2020 apresentaram nesta quarta-feira a tocha olímpica do grande evento. Feita de alumínio reciclado, o objeto é dourado e tem design inspirado nas flores da cerejeira, árvore que é um dos símbolos do Japão. As cinco pétalas desenhadas na ponta da tocha também fazem referência aos anéis olímpicos.

O lançamento da tocha nesta quarta quase coincide com o início da primavera no hemisfério norte do planeta (no dia 22), época em que as cerejeiras florescem em solo japonês. A data marca ainda a contagem de um ano para chegada da flama olímpica ao país asiático, vindo da Grécia.

Responsável pela criação da tocha, o designer Tokujin Yoshioka disse ter se inspirado em desenhos de cerejeiras feitos por crianças numa escola que visitou na cidade de Fukushima. "Eu fiquei muito impressionado com a expressão poderosa destes desenhos feitos pelas crianças. Eles estão tentando superar desafios para seguir em frente. Eu quis compartilhar isso com o mundo", afirmou.

Yoshioka se refere ao desastre ocorrido em Fukushima, alvo de um acidente nuclear em uma usina atingida por um tsunami em março de 2011. A cidade precisou ser evacuada naquele que foi o maior acidente nuclear desde Chernobil, na Ucrânia. Estimativas apontam cerca de 17 mil mortos entre atingidos pelo terremoto, pelo tsunami (causado pelo terremoto) e também processo de evacuação e moradia em habitações temporárias.

Para fazer a referência ao acidente, o criador da tocha usou em sua composição alumínio que foi utilizado na construção destas casas temporárias para as vítimas do tsunami.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.