Vaughn Ridley| AFP
Vaughn Ridley| AFP

AO VIVO

Confira tudo sobre a Copa do Mundo da Rússia 24 horas por dia

Com brasileiro pelo 2º ano seguido, final da MLB de 2016 soma 176 anos de jejum

Yan Gomes é receptor do Cleveland Indians, adversário do Chicago Cubs na World Series

O Estado de S.Paulo

25 Outubro 2016 | 07h00

Há um ano, Paulo Orlando, do Kansas City Royals, fez história ao se tornar o primeiro brasileiro campeão da Major League Baseball (MLB). Em 2016, o País tem mais um representante na World Series, a final do maior torneio de beisebol do mundo: Yan Gomes, receptor do Cleveland Indians.

A série decisiva que começa nesta terça-feira já é histórica antes mesmo de seu resultado. Estão na decisão os dois times há mais tempo na fila por um título na liga. O Cleveland não levanta o troféu da MLB há 68 anos, com a última conquista em 1948. Do último título até 2016, a "Tribo" já esteve em três World Series (1954, 95 e 97), perdendo todas.

A seca do time de Yan Gomes só não é maior do que a do rival da decisão, o Chicago Cubs. Os "Lovable Losers" ("Perdedores amáveis") não são campeões desde 1908, amargando longos 108 anos de jejum. Além disso, a última oportunidade que tiveram na grande decisão foi somente em 1945, há 71 anos.

As excelentes campanhas de Indians e Cubs em 2016 têm em comum dois personagens importantes no fim de outro jejum histórico. Em 2004, o Boston Red Sox acabou com a "Maldição do Bambino" ao finalmente vencer a World Series após amargar 86 anos de fila. O técnico daquele time era Terry Francona, hoje à frente de Cleveland. Já o gerente geral responsável pela montagem do elenco dos Red Sox era Theo Epstein, atualmente vice-presidente de operações de beisebol dos Cubs. Além da World Series de 2004, a dupla ainda foi campeã em 2007 por Boston.

Os dois finalistas da MLB deste ano também compartilham a característica do jogo, baseado em ótimos arremessadores e defesa sólida. No duelo de arremessadores titulares, quem leva a vantagem é Chicago, com Jon Lester, Jake Arrieta, John Lackey e Kyle Hendricks. Já entre os homens de relevo, que entram durante as partidas, os Indians levam a melhor, principalmente com Andrew Miller e Cody Allen.

A maior diferença fica na formação dos dois elencos. Enquanto Cleveland é formado por jogadores mais rodados e poucos jovens, Chicago é recheado de atletas formados no próprio clube e ainda em suas primeiras temporadas. A mudança no tratamento com as categorias de base feita pelos Cubs foi implantada justamente por Theo Epstein, no clube desde 2011.

REPRESENTANTE BRASILEIRO

Em 2012, jogando pelo Toronto Blue Jays, Yan Gomes se tornou o primeiro brasileiro da história a atuar na MLB. O receptor foi negociado com os Indians em 2013 e desde então se tornou titular inquestionável na posição. Porém, no segundo semestre deste ano, o paulistano sofreu com muitas lesões. Recuperado, voltou ao time apenas na última semana da temporada regular, mas foi substituído por Roberto Perez e ainda espera sua primeira oportunidade nos playoffs.

PRESSÃO ALIVIADA

A pressão sobre dos Indians foi reduzida nesta ano por uma conquista em outro esporte. O inédito triunfo dos Cavaliers na NBA representou o primeiro título de um time de Cleveland em 52 anos. A última vez que os moradores da cidade do Estado de Ohio haviam comemorado um campeonato havia sido em 1964, quando os Browns levaram a melhor na NFL.

MALDIÇÃO DO BODE

O insucesso dos Cubs por tanto tempo é creditado a uma suposta maldição enviada por um torcedor na Série Mundial de 1945, a última com a presença de Chicago. Liderando a final por 2 jogos a 1, a franquia receberia o Detroit Tigers para o Jogo 4, em casa. O grego Billy Sianis foi impedido de entrar no estádio Wrigley Field com seu bode, chamado Murphy, para o qual ele também havia comprado um ingresso. Na discussão, o presidente dos Cubs à época, Philip K. Wrigley, teria dito que o animal de Sianis fedia. Contrariado, o grego teria então decretado: "O Chicago Cubs nunca mais vai ganhar uma World Series enquanto não deixar um bode entrar no estádio".

Outra versão da história conta que Sianis até conseguiu entrar no estádio, mas fora retirado do local pelos funcionários devido às reclamações de outros torcedores pelo mau cheiro de Murphy após uma chuva.

Dentro do campo, os Tigers viraram sobre os Cubs e venceram a Série Mundial por 4 a 3. Confirmado o resultado, Sianis teria enviado um telegrama ao presidente do clube dizendo: "Quem fede agora?"

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.