Ueslei Marcelino/Reuters
Ueslei Marcelino/Reuters

Com cirurgia marcada, Zanardi tem melhora e 'sinais de interação com ambiente'

Campeão paralímpico e ex-piloto da Fórmula 1, o italiano está internado desde junho, após sofrer um grave acidente

Redação, Estadão Conteúdo

24 de setembro de 2020 | 11h09

Ex-piloto de Fórmula 1, o italiano Alessandro Zanardi apresenta quadro de evolução, com "sinais transitórios e iniciais de interação com o ambiente", de acordo com o Hospital San Raffaele, de Milão, na Itália. O campeão paralímpico no ciclismo se recupera de um grave acidente sofrido em junho deste ano.

"O Sr. Alex Zanardi segue em terapia semi-intensiva mantida por uma equipe multidisciplinar", anunciou o mais recente boletim do hospital. "Há vários dias, Alex Zanardi tem sido submetido a sessões de reabilitação cognitiva e motora, com administração de estímulos visuais e acústicos aos quais o paciente responde com sinais transitórios e iniciais de interação com o ambiente."

No mesmo boletim, divulgado nesta quinta-feira, o hospital informou que o ex-piloto foi submetido a uma cirurgia de reconstrução do crânio e da face devido aos ferimentos sofridos na cabeça no acidente sofrido quando disputava uma corrida na Toscana, no dia 19 de junho. Na ocasião, ele perdeu o controle da sua bicicleta de mão em uma descida, em uma curva, indo para a pista oposta. Na contramão, chocou-se com um caminhão.

A quantidade de ferimentos vai exigir ao menos mais uma cirurgia, ainda sem data marcada. "Está prevista para as próximas semanas", informou o boletim. Os médicos afirmaram ainda que evitam fazer qualquer prognóstico de recuperação em razão dos ferimentos. "Apesar dos progressos significativos, os médicos enfatizam que, dada a persistência de uma situação clínica global complexa, é muito cedo para oferecer um prognóstico."

Zanardi está internado desde 19 de junho. Inicialmente, foi atendido no hospital Universitário de Siena, de onde foi transferido para o centro de reabilitação neurológica Villa Beretta, após ser retirado da sedação, em julho. Na mesma semana, o ex-piloto teve uma piora no estado de saúde e foi internado na UTI do hospital San Raffaele, onde foi operado pela quarta vez, com sucesso. Agora já são cinco cirurgias realizadas.

O ciclista soma quatro medalhas de ouro paralímpicas. Ele competiu na Fórmula 1 entre 1991 e 1994, depois indo para o automobilismo norte-americano, onde foi campeão na Cart em 1997 e 1998, regressando no ano seguinte para a F-1.

Em 2001, um grave acidente em corrida da Cart na Alemanha o fez perder as duas pernas. O italiano ainda seguiria envolvido no automobilismo, mas aos poucos passou a se concentrar no esporte paralímpico. E faturou dois ouros nos Jogos de Londres-2012 e outros dois no Rio-2016.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.