Miriam Jeske/ CPB
Miriam Jeske/ CPB

Com direito a recorde, Alessandro Rodrigo garante o bi paralímpico no lançamento de disco

Brasileiro fez a melhor marca paralímpica e manteve sua hegemonia na prova sem dar chance para os oponentes

João Prata, O Estado de S.Paulo

02 de setembro de 2021 | 00h32

O brasileiro Alessandro Rodrigo garantiu o bicampeonato paralímpico no lançamento de disco da classe F11 (cegos) com direito a recorde dos Jogos. Assim como acontece em todas as competições desde 2015, ele não deu chance para os adversários e subiu no degrau mais alto do pódio.

No segundo lançamento, ele alcançou 43,16m e estabeleceu a melhor marca do mundo em Jogos Paralímpicos. O recorde anterior pertencia ao brasileiro e foi conquistado nos Jogos do Rio (43,06m). Alessandro também tem o recorde mundial, que conseguiu no Mundial de Dubai, em 2019, com 46,10m. 

Mas Alessandro nem precisaria dessa melhor marca para garantir o ouro. Cinco dos seis lançamentos também seriam suficientes para ficar em primeiro lugar. Todas essa marcas foram acima dos 41m - só uma que ele queimou. A prata ficou com o iraniano Mahdi Olad (40,60m) e o bronze com o italiano Oney Tapia (39,52m).

Em Tóquio, o brasileiro já havia conquistado a prata no arremesso de peso. Alessandro se tornou cego por conta da toxoplasmose. Conheceu o esporte paralímpico por meio de um ex-professor que o apresentou à prova de arremesso.  

Além das conquistas em Jogos Paralímpicos, ele tem dominado as provas de lançamento de disco em todos os eventos recentes. Foi ouro nos Mundials de Dubai (2019) e Londres (2017) e nos Jogos Parapan-Americano de Lima (2019) e de Toronto (2015). 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.