Orlando Barria/EFE
Orlando Barria/EFE

Treinado por Hugo Hoyama, Calderano é aposta do Brasil

Será a primeira vez em 32 anos que Hoyama não disputa medalha

NATHALIA GARCIA - ENVIADA ESPECIAL A TORONTO, Estadão Conteúdo

19 de julho de 2015 | 09h41

A equipe brasileira de tênis de mesa estreia neste domingo nos Jogos Pan-Americanos de Toronto. Será a primeira edição em 32 anos em que Hugo Hoyama, atual técnico do feminino, não estará na briga por medalhas com a raquete na mão. Hugo Calderano, que nem tinha nascido quando o veterano já representava a seleção, é a esperança no masculino. "É o meu primeiro Pan. É muito bom substituir um dos grandes ídolos do esporte, espero representar bem o País em Toronto", afirma.

Os brasileiros estão confiantes no potencial da equipe, composta também por Gustavo Tsuboi e Thiago Monteiro, e querem repetir o ouro do Pan de Guadalajara. Na disputa individual, só o lugar mais alto do pódio interessa. O campeão garante a classificação para a Olimpíada do Rio. "A meta de todo mundo é conseguir duas medalhas, uma na equipe e uma no individual. Se vier o ouro, melhor ainda", diz Calderano.

O jovem de 19 anos ganhou projeção nacional depois do bronze nos Jogos Olímpicos da Juventude, em Nanquim, no ano passado. Desde então convive com o rótulo de promessa, mas diz não ligar para isso. "Procuro focar nos treinamentos para ficar cada vez melhor e deixar de ser só uma promessa para virar uma realidade."

Preocupado com a evolução, Calderano deixou o Brasil em agosto de 2014 e se mudou para a Alemanha. Recentemente, renovou o contrato com o time de Ochsenhausen por mais duas temporadas. Na Europa, Hugo fica totalmente imerso no tênis de mesa. No entanto, sua vida nem sempre foi assim.

"Comecei a treinar no Fluminense, jogava tênis de mesa e vôlei. Cheguei até a ser seleção carioca de vôlei e também fui campeão carioca no salto em distância, no atletismo. Quando fui crescendo, tive que decidir o que eu ia fazer e escolhi o tênis de mesa", explica. O Brasil estreia contra o Equador neste domingo, às 12 horas (de Brasília).

FEMININO - Enquanto o time masculino já tem tradição no Pan, as meninas do tênis de mesa buscam se firmar. Sob o comando de Hugo Hoyama, Lin Gui, chinesa naturalizada brasileira, Caroline Kumahara e Lígia Silva miram um bom resultado em Toronto. Às 11 horas, o Brasil encara o Peru na primeira rodada.

"Os treinamentos foram muito bons, nossa equipe está unida. Todo mundo tem o mesmo objetivo e está firme para poder realizar nossa meta", diz Lin Gui. Antes da estreia, as mesa-tenistas tentam manter os pés no chão. "A gente tem grandes chances de conquistar medalha, a gente não tem que criar expectativa, tem que pensar que cada jogo é diferente", avalia Lígia, a mais velha da equipe brasileira.


Tudo o que sabemos sobre:
Jogos Pan-Americanostênis de mesa

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.