Com Lima, Corinthians encara o Mirassol pelo Paulistão

Finazzi é vetado pelo técnico Mano Menezes; time não marca há 211 minutos

Cosme Rímoli e Vítor Marques - Jorna, SÃO PAULO

01 de fevereiro de 2008 | 21h17

SÃO PAULO - As incoerências de Mano Menezes e o fraco futebol do time têm contrastado com o clima de amor eterno por parte da torcida corintiana (mais de 112 mil pessoas pagaram ingresso nas cinco primeiras rodadas do campeonato). Por mais que a diretoria não pare de criar projetos - o último é o batismo de torcedores - no campo, a equipe decepciona. O Corinthians que enfrenta o Mirassol neste sábado, às 16 horas, no Morumbi, está há 211 minutos sem fazer um gol.

A vitória nesta sábado é obrigatória. E Mano Menezes tirou o artilheiro do time: Finazzi. No seu lugar escalou Lima, que não joga desde novembro de 2006 (leia texto ao lado). "O Finazzi estava sentindo dores no joelho. Sua movimentação em campo acabava prejudicada. O Lima entra para dar mais mobilidade ao ataque. Não vai jogar o Herrera porque ficou sete dias sem treinar para cuidar da documentação", diz o treinador, sem lembrar que Lima está há mais de 400 dias sem atuar.

Enquanto o time treinava, Finazzi fazia exercícios ao lado do gramado. Ele suportou bem os movimentos bruscos que o preparador físico Flávio Trevisan pedia a ele. Finazzi não deu entrevistas e foi fácil perceber a sua irritação por ser afastado da equipe.

Acosta não tem motivo para ficar tranqüilo, pelo contrário. O futebol decepcionante que está mostrando o qualifica para ser o próximo a deixar o time. Só não saiu ainda pelo porque não há reservas de bom nível.

Outra incoerência de Mano está em manter no banco o jogador que melhor rendeu na meia até agora - nas suas próprias palavras: Everton Ribeiro. "Não é porque eu elogiei que ele vai jogar. A questão é tática. Por suas características, ele não se encaixa no esquema que estamos montando para a equipe." No meio-de-campo, com o Corinthians precisando ganhar, ele colocará três volantes contra o pequeno Mirassol: Fabinho, Alessandro e Bruno Octávio.

Sem punição
E antes do treinamento de ontem Mano fez questão de alertar os jogadores sobre o perigo que pode representar o 10.º colocado. "Nós acompanhamos os teipes do Mirassol. Eles jogaram muito bem contra o Palmeiras", afirmou Coelho.

Mano Menezes não viu motivos para pedir à diretoria que punisse Perdigão pela expulsão infantil contra o Sertãozinho aos 28 minutos do primeiro tempo. "A expulsão não é motivo para sair sorrindo, mas também não vejo por que punir o Perdigão. O erro foi que ele estava marcando muito à frente. O time estava empolgado com a torcida querendo a vitória e foi para a frente."

É bom Mano e os jogadores estarem preparados, porque neste sábado a torcida vai exigir a vitória e muitos gols. O amor pelo time não acaba nunca, mas a paciência dos torcedores está se esgotando.

Mirassol
Três titulares estão machucados e desfalcarão o time: o zagueiro Montoya, o lateral-esquerdo Cláudio e o atacante Fabinho. "A saída deles pode atrapalhar um pouco, porque nosso elenco é pequeno", disse o técnico Luís Carlos Martins.

Além deste jogo, a sexta rodada do Paulistão conta com mais seis jogos neste sábado. Ponte Preta x São Paulo às 16 horas; Noroeste x Palmeiras e Ituano x Rio Claro às 18h10, assim como Marília x Rio Preto, Portuguesa x Bragantino e São Caetano e Juventus, às 20h30.

CORINTHIANS X MIRASSOL
Corinthians: Felipe; Coelho, Chicão, William e André Santos; Alessandro, Bruno Octávio, Fabinho e Dentinho; Acosta e Lima.Técnico: Mano Menezes

Mirassol: Alexandre Favaro; Júlio César, André Turrato, Bruno Aguiar, Fabinho Capixaba e Jefferson; Sandro Silva, Xuxa e Caio; Anderson Lobão e Fabiano Souza.Técnico: Luís Carlos Martins

Árbitro: José Henrique de Carvalho
Estádio: Morumbi, em São Paulo (SP)
Horário: 16 horas
TV: PPV

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.