Paul Childs/Reuters
Paul Childs/Reuters

AO VIVO

Torcida brasileira vive clima de festa antes do jogo com a Costa Rica; acompanhe

Com mais de 83 mil pessoas em Wembley, Jacksonville Jaguars vence a 1ª na NFL

Equipe faz 30 a 27 sobre o Indianapolis Colts, em Londres

Estadão Conteúdo

02 Outubro 2016 | 16h23

O mítico Estádio de Wembley voltou a ficar lotado para receber uma partida da NFL, a liga de futebol americano dos Estados Unidos. Com ingressos esgotados, o estádio londrino recebeu 83.764 espectadores neste domingo. E eles viram o triunfo do Jacksonville Jaguars por 30 a 27 sobre o Indianapolis Colts.

Wembley vem sendo palco de partidas da NFL desde 2007. E em todo esse período, o estádio nunca atraiu menos de 76 mil pessoas para esses duelos. Na atual temporada, ele sediará mais um jogo, entre Cincinnati Bengals e Washington Redskins, que está agendada para 30 de outubro.

Além disso, outros dois confrontos serão realizados fora dos Estados Unidos. Também em Londres, no Estádio de Twickenham, o Los Angeles Rams vai encarar o New York Giants, em 23 de outubro. Já em 21 de novembro, o Estádio Azteca, na Cidade do México, será o palco de Oakland Raiders x Houston Texans.

Com a vitória deste domingo, o Jacksonville Jaguars somou a sua primeira vitória nesta temporada da NFL, depois de perder os três duelos anteriores. Assim, igualou a campanha do Colts, com ambos ocupando as duas últimas posições da Divisão Sul da Conferência Americana.

Blake Bortles lançou dois passes de touchdown e cruzou a zona de anotação, fazendo com que o Jaguars freasse a reação do Colts no último período. No quarto final, Andrew Luck guiou o time de Indianápolis em três series ofensivas para touchdown permitindo que o seu time diminuísse uma enorme vantagem do Jaguars, que foi de 23 a 6 ao fim do terceiro período. Porém, não foi suficiente para evitar o triunfo do time de Jacksonville no lotado Wembley.

Mais conteúdo sobre:
NFL Estádio de Wembley Futebol Americano

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.