Washington Alves/COB
Washington Alves/COB

Com medalhistas olímpicos e novidades, judô brasileiro estreia no Pan

Ellen Santana é a principal novidade do judo brasileiro nos Jogos Pan-Americanos

Paulo Favero, enviado especial a Lima, Estadao Conteudo

08 de agosto de 2019 | 04h30

O judô brasileiro vai estrear nos Jogos Pan-Americanos de Lima com uma equipe forte, com atletas como Rafaela Silva, Mayra Aguiar e David Moura, mas também terá alguns rostos novos, como o de Ellen Santana, que iniciou a carreira em um projeto social de Guarulhos e agora tem uma ótima oportunidade de mostrar sua força na categoria até 70 kg.

"Minhas expectativas são muito boas. Estou muito feliz com essa oportunidade e será meu primeiro Pan. Aconteceu tudo muito rápido, então minha expectativa está a milhão. Estou bem preparada e vai dar tudo certo, acho que vamos voltar para o Brasil com muitas medalhas", contou.

Ellen começou a praticar a modalidade quando era criança no Sesi. A garota explica que era muito bagunceira em casa, ficava pulando e correndo, então sua mãe quis colocá-la para fazer esporte para gastar um pouco de energia. "Minha família é de origem humilde. Comecei no judô em projeto social, pois não tinha dinheiro para pagar academia", relembra.

Aos poucos ela foi gostando dos tatames e mostrou que levava jeito para o judô. Não demorou para professores de uma academia de sua cidade, a Associação 9 de julho, perceberem seu talento. "Foram eles que me descobriram. Me levavam para seletivas, competições, se não fossem por eles, minha carreira não teria chegado a esse nível", disse.

A judoca conta que sua mãe foi extremamente essencial em sua carreira desde o início e que a ajudou a chegar mais longe. "Ela me levava para os treinos, me ajudava, não deixava eu cair nas competições. Acredito que o apoio da família é muito importante e dá forças para estar ali no tatame", afirmou.

Com o tempo, foi chamando atenção de clubes maiores e acabou virando atleta do Palmeiras e atualmente veste as cores do Pinheiros. "Eu fui pegando cada vez mais amor e hoje em dia o judô é minha vida. Cada passo que a gente dá consegue conquistar mais coisas no nosso caminho", disse.

Em Lima, ela vai estrear apenas no sábado. Antes, vai poder torcer por suas companheiras das categorias mais leves, como Larissa Farias (48 kg), Larissa Pimenta (52 kg), Rafaela Silva (57 kg) e Aléxia Castilhos (63 kg). No dia seguinte de sua participação o Brasil terá ainda Mayra Aguiar (78 kg) e Beatriz Souza (+78 kg).

Já no masculino a equipe nacional teve o desfalque de Leonardo Gonçalves (100 kg) de última hora, que se machucou. Mas seis atletas estarão no Pan de Lima: Renan Torres (60 kg), Daniel Cargnin (66 kg), Jeferson Santos Júnior (73 kg), Eduardo Yudy Santos (81 kg), Rafael Macedo (90 kg) e David Moura (+100 kg). 

A principal missão do Brasil no judô é conseguir ficar à frente de Cuba no quadro de medalhas da modalidade. O sonho é conseguir um aproveitamento de 100% de pódio com os 13 atletas, ou seja, todo mundo ganhar medalha, independentemente da cor. No Pan de Toronto, em 2015, o Brasil obteve cinco medalhas de ouro, duas de prata e seis de bronze, com 13 pódios em 14 possíveis.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.