Com Neymar expulso, Santos perde mais uma no Campeonato Paulista

Em Campinas, time cai diante da líder Ponte por 3 a 1. Foi a segunda derrota consecutiva do tricampeão no torneio

MATEUS SILVA ALVES, O Estado de S.Paulo

18 de fevereiro de 2013 | 02h02

SÃO PAULO - O Santos planejava sair de Campinas na liderança do Paulista, mas o que ocorreu foi muito diferente disso. Em má fase, o time perdeu para a Ponte Preta por 3 a 1 e agora está em quarto lugar, há três rodadas sem vencer.

Com absoluta liberdade para jogar, já que Muricy Ramalho o escalou como o homem mais avançado do time, Neymar precisou de poucos minutos para colocar Edson Bastos para trabalhar. Era um sinal de que o Santos sufocaria a Ponte, mas tudo mudou quando um cruzamento de Ramírez pegou a defesa santista em momento de sono profundo e Bruno Silva teve todo o tempo do mundo para dominar a bola e colocá-la na rede.

O gol encheu o Santos de incerteza e insegurança. Quando tentava trocar passes no campo adversário, o time dava de cara com uma defesa bem posicionada. Não por acaso, os melhores momentos dos santistas ocorreram em jogadas de bola parada - geralmente depois de faltas sofridas por Neymar - e em contra-ataques, quando o craque santista tinha espaço para avançar em velocidade com a bola.

Na confortável posição de quem não precisava assumir o controle do jogo, antes do intervalo a Ponte esteve muito mais perto do segundo gol do que o Santos do primeiro. Como em uma cabeçada de Artur que encontrou o travessão após uma cobrança de escanteio. A equipe de Campinas raramente rondava a área adversária, mas quando o fazia era sempre perigosa.

Como se o Santos já não tivesse problemas em quantidade suficiente, Neymar se envolveu em uma confusão boba com Artur no finzinho do primeiro tempo e foi expulso junto com o ponte-pretano. E o tricampeão paulista se viu tendo de se virar sem a sua arma mais poderosa.

Previsivelmente, faltou ao Santos criatividade no segundo tempo. O time tocava a bola para lá e para cá, mas nada de entrar na área ponte-pretana. Montillo mais uma vez errava demais e Marcos Assunção estava muito impreciso nas bolas paradas.

A cada minuto mais aberto, o Santos se expunha aos contra-ataques da Ponte e pagou caro por isso quando Alemão foi colocado por Cicinho na cara de Rafael. O atacante revelado na Vila Belmiro não falhou. O gol de André, a poucos minutos do fim, de nada serviu, pois Alemão aproveitou falha ridícula de Rafael e fez o terceiro nos acréscimos.

Tudo o que sabemos sobre:
Santos FCNeymarPonte Pretafutebol

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.