Gaspar Nóbrega/Inovafoto
Gaspar Nóbrega/Inovafoto

Com ouro na ginástica e no pentatlo, Brasil conquista 22 medalhas no Chile

Apesar dos resultados deste sábado, País foi ultrapassado pela Argentina no quadro de medalhas

Nathalia Garcia, enviada especial, O Estado de S. Paulo

08 de março de 2014 | 22h31

SANTIAGO - Apesar das 22 medalhas conquistadas neste sábado, o Brasil foi ultrapassado pela Argentina no quadro dos Jogos Sul-Americanos, em Santiago, no Chile. O País tem maior número de medalhas, 33 ao total (13 de ouro, seis de prata e 14 de bronze) contra 30 do vizinho, mas perde na quantidade de pratas conquistadas.

O principal resultado da noite foi o lugar mais alto do pódio da equipe brasileira de ginástica, que superou Chile e Colômbia ao fazer 212.700 pontos. No individual, a ginasta Jade Barbosa não foi muito bem nas barras paralelas, mas se destacou nos outros aparelhos e saiu com a dourada. Essa foi a sua primeira competição desde que voltou de lesão. Julie Sinmon ficou com o bronze.

“Estou muito feliz porque o médico me disse que só poderia voltar a competir em seis meses e que eu viria meia-boca. Consegui fazer mais do que imaginei e a equipe vai estar realmente pronta para o Mundial”, comemorou.

Os argentinos foram os destaques no remo, modalidade em que o Brasil conquistou apenas a prata com Fabiana Beltrame. A natação brasileira, por sua vez, compensou o fraco rendimento na modalidade. Leonardo de Deus foi o mais rápido nos 200 metros borboleta e garantiu a sua segunda conquista. “Estou satisfeito não só por ter conquistado o bi nas duas provas (a deste sábado e os 200 metros costas na sexta-feira), mas principalmente pelo meu tempo. Para essa fase de treinamento, foi melhor do que o ouro. Me mostra que estou no caminho certo”, avaliou.

A grande surpresa foi o decepcionante 4.º lugar de Thiago Pereira na prova dos 100 metros costas. Ele terminou com o tempo de 55s49, enquanto o venezuelano Alberto Subirats foi campeão com 54s31. Na sequência, ele ficou com a dourada ao lado da equipe brasileira no revezamento 4 x 200 m.

Já entre as mulheres, teve dobradinha no pódio. Larissa Oliveira venceu a prova dos 100 metros livre e Graciele Hermann foi prata. Com a medalha no peito, a nadadora mineira estava entusiasmada. “Gostei bastante, apesar de estar em melhor forma. Já esperava um resultado legal até porque eu queria nadar muito bem. Era uma coisa minha, precisava provar para mim mesma”, afirmou Larissa.

Já Graciele esperava um pouco mais de seu desempenho na competição. “Não foi bem o que eu queria, mas está bom para a época de treinamento. Dei meu máximo para o período. Acredito que está bom uma dobradinha brasileira.” As medalhas de bronze da natação vieram com Julia Gerotto (400 metros medley e 200 m medley), Fernando Ernesto (100 metros costas), Marcos Oliveira (400 metros livre) e Nathalia de Luccas (200 metros costas).

OUTROS RESULTADOS

O Brasil também sagrou-se campeão no pentatlo moderno. Dona do bronze nos Jogos Olímpicos de Londres, Yane Marques confirmou o favoritismo na modalidade, que mistura esgrima, natação, equitação e combinado (tiro e corrida). A atleta Priscila Oliveira ficou em terceiro. Na hora da premiação, a organização cometeu uma gafe e o hino nacional teve de ser cantado pelos presentes durante o pódio. Entre os presentes, estava Carlos Arthur Nuzman, presidente do Comitê Olímpico Brasileiro.

A equipe de hipismo - formada por Leandro Silva (cavalo Di Caprio), João Victor Marcari Oliva (Xamã dos Pinhais), João Paulo dos Santos (Veleiro Top) e Pia Aragão (Zepelim) - garantiu o título para o Brasil. O filho da ex-jogadora de basquete Hortência volta a competir neste domingo.

No esqui aquático, Nicholas Fuldauer levou o ouro na prova de slalom e Tereza Lobato a prata no wakeboard. As pratas de Pâmela Oliveira no triatlo, de Renato Rezende no ciclismo BMX e os bronzes de Diego Romanelli (até 59 kg) e Ronisson Santiago (até 85 kg) na luta greco-romana e de Natália Ribeiro no caratê completam as conquistas do dia.

No rúgbi masculino, o Brasil bateu o Peru por 17 a 7, mas acabou derrotado pelo Chile por 14 a 12. No feminino, a seleção atropelou o Paraguai por 44 a 0 a Venezuela por 48 a 0. Os jogos continuam neste domingo. Outro time brasileiro que se deu bem foi a handebol masculino. A equipe fez uma boa estreia contra a Vanezuela e fechou o placar em 36 a 19, em Viña del Mar. O time feminino, que conta com boa parte das atletas do título mundial, debutam na competição neste domingo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.