Com pressão reduzida, pódio entra na mira de Fabiana Murer

Atleta possui uma medalha de ouro do Mundial de 2010 e uma bronze de 2008

Agência Estado

08 de março de 2014 | 19h29

SOPOT - Se no Mundial de Moscou de agosto do ano passado o atletismo brasileiro não ganhou nenhuma medalha, no Mundial Indoor de Sopot (Polônia), que acontece neste fim de semana, o primeiro ouro já veio, com Duda, no salto em distância. E quem também ganha com isso é Fabiana Murer. Acostumada a carregar nas costas a responsabilidade de ser a maior esperança do País, ela poderá competir mais aliviada neste domingo.

Campeã em Daegu/2010 e medalhista de bronze em Valência/2008, Fabiana vai em busca da terceira medalha em mundiais indoor a partir das 11h de Brasília, neste domingo, numa prova que não terá fase de classificação, com as 12 atletas classificadas participando diretamente da disputa pelo título.

De acordo com o técnico Elson Miranda, a chance de medalha é real, por conta do equilíbrio entre as competidoras: "Pelo que estamos vendo das competições indoor este ano, não teve nenhum grande resultado. Mas, com certeza, aqui é Mundial e todas as atletas vão crescer, inclusive a Fabiana. Então, as chances de pódio são bem grandes. Acho que a zona de medalhas vai estar entre 4,70m e 4,80m", aposta.

Este ano, nove atletas já saltaram mais do que 4,70m, sendo que a líder do ranking é Anna Rogowska, da Polônia, com 4,76m. As demais ficaram entre 4,73m e 4,71m. Fabiana Murer chega ao Mundial como a 11.ª do mundo, com 4,63m que fez na última prova antes da competição. Desde 2011 ela não passa dos 4,70m em provas indoor.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.