Ricardo Sodre/ SSPress/ CBDA
Ricardo Sodre/ SSPress/ CBDA

Com recordes, nadador de 16 anos brilha no primeiro dia do Troféu Brasil

Stephan Stevenrink conquistou medalha de ouro nos 400 metros medley

Felipe Rosa Mendes, Estadão Conteúdo

09 de dezembro de 2020 | 23h12

Com recordes no juvenil, o nadador Stephan Steverink, de apenas 16 anos, foi o grande destaque desta quarta-feira, primeiro dia do Troféu Brasil, disputado na piscina do Vasco da Gama, no Rio de Janeiro. Ele superou dois recordes brasileiros e faturou a medalha de ouro nos 400 metros medley masculino.

"Estou muito feliz. Este é meu primeiro pódio de Troféu Brasil e logo uma medalha de ouro. Estou muito orgulhoso do que fiz aqui hoje. Foi mais um passo para o índice olímpico que eu desejo fazer na seletiva do ano que vem", declarou o jovem atleta, que completou a distância em 4min19s01, novo recorde da categoria juvenil 2. Mais cedo, nas eliminatórias, ele já havia superado a marca vigente ao nadar para 4min20s09.

O nadador da AABB não foi o único da base a se destacar nesta quarta. Nos 100 metros borboleta feminino, Stephanie Balduccini, do Paineiras, cravou o novo recorde juvenil 2, com 1min00s53. Mas quem levou o ouro na prova foi a venezuelana Jeserik Sequeira, com 1min00s21.

No grupo dos nadadores mais experimentados, Vinicius Lanza, do Minas Tênis Clube, levou a melhor nos 100m borboleta, com 52s23. Victor Baganha, também do Minas, levou a prata, com 52s52, e Jose Angel Gomez foi bronze, com 53s12. "O tempo, diante de tudo que vivemos, foi bom, mas o importante é voltar a nadar depois desse período sem conseguir ir às piscinas", disse Lanza.

Nos 800m livre, Guilherme Costa, o Cachorrão, confirmou o favoritismo. Recordista sul-americano da prova, ele venceu com o tempo de 7min58s03. Diogo Villarinho levou a prata, com 8min01s21. Alexandre Finco completou o pódio com 8min06s61.

"Achei muito importante voltar a competir. Estamos treinando bastante e aos poucos vamos voltando ao ritmo de competição. Agora é focar na seletiva, onde eu quero estar no meu melhor momento físico e técnico para chegar à minha primeira participação olímpica", afirmou Cachorrão.

Viviane Jungblut também conquistou o ouro nos 800m livre, com 8min40s46, apesar de ter ficado atrás da argentina Delfina Pignatiello (8min37s87) - o resultado da argentina não vale para efeito de pódio. Aline Rodrigues faturou o bronze, com 8min45s98.

Outros vencedores do dia foram Felipe França e Julia Sebastian (100m peito masculino e feminino) e Gabrielle Gonçalves (400m medley feminino). No revezamento 4x100m livre feminino, o ouro ficou para o Minas tanto no masculino quanto no feminino.

O Troféu Brasil é a primeira e única grande competição nacional a ser realizada totalmente de forma presencial neste ano, em razão da pandemia do novo coronavírus. No Rio, nadadores e organização estão seguindo protocolos para evitar a contaminação por covid-19.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.