Reprodução/Facebook
Reprodução/Facebook

Com retrospecto vitorioso, Barão reconhece ter muito a crescer no UFC

'Tenho muita lenha para queimar', diz terceiro melhor do ranking do campeonato de MMA

Ronald Lincoln Jr. , O Estado de S. Paulo

21 de fevereiro de 2014 | 19h30

RIO - Desde que chegou ao UFC em 2011, Renan Barão enfrentou os principais lutadores do peso leve e venceu todos, sem contar os anos de invencibilidade antes de chegar à principal franquia de MMA. Hoje, o potiguar é o detentor do cinturão de sua categoria e não há em vista quem possa lhe tomar o título.

 

Durante uma entrevista coletiva realizada quinta-feira pela TNT, patrocinadora de Barão, o atleta demonstrou humildade quanto ao seu bom momento. "Tenho muita lenha para queimar. Só defendi o cinturão uma vez ainda. O UFC sempre me jogou os tops da categoria logo no começo. Acho que tem vários caras que podem me enfrentar, luta é luta."

 

Atualmente, Barão é o terceiro melhor lutador no ranking do UFC, mas ainda não consquistou fama semelhante à de outros lutadores como Anderson Silva e José Aldo. Isso, no entanto, não o preocupa. "Estou chegando agora, engatinhando ainda. Falta dar mais continuidade aí, mais uns anos de trabalho, quem sabe isso aconteça."

 

Mesmo com o retrospecto excepcional, ele garantiu ter por que estar motivado. "Acho que por minha vida toda, minha família, as pessoas que acreditam em mim. Acho que isso é o motivo de estar aí me mantendo, acordar cedo e treinar forte", concluiu.

Tudo o que sabemos sobre:
UFCRenan Barão

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.