Com ´salário´ como prêmio, título é especial para Lucélia

O título da São Silvestre, neste domingo, teve sabor especial para Lucélia Peres, de 25 anos, 1,66 m e 53 quilos. A mineira de Paracatu, que mora em Paranoá (DF) desde os 3 anos, havia sido vice-campeã em 2004 e quarta colocada em 2005. Depois de levar duas vezes o título de melhor brasileira na prova, finalmente foi campeã dos 15 km na 82ª edição da Corrida Internacional de São Silvestre, com o bom tempo de 51min24 - estava inteira na subida da Av. Brigadeiro Luís Antônio e cruzou a linha de chegada com chuva.Com o melhor tempo da década feito este ano, no Brasil e na América do Sul, também para os 5 mil (15min50s) e 10 mil (33min04s), Lucélia fecha o melhor ano da carreira com a vitória na São Silvestre e o prêmio de R$ 21 mil pelo título. ?É o meu salário, ainda não sei o que farei com o dinheiro?. ?Consegui fazer uma prova muito boa, atingir um objetivo que vem sendo perseguido desde 2003. Estou muito feliz. Tentei me conter no início para manter o ritmo planejado pelo meu técnico e chegar no início da subida da Brigadeiro com muito gás?, comentou Lucélia.Dedicou a vitória aos pais João e Aparecida de Mello Peres, que moram na comunidade que ajudou a construir no Lago Paranoá, em Brasília, e ao técnico Edilberto Barros. O namorado, Elismar Divido, ganhou um beijo. Também agradeceu ao público que estava ao longo do percurso.No ano passado, também bem preparada, Lucélia errou a estratégia da prova correndo muito forte no início. Neste domingo, como definiu o técnico Edilberto Barros, ?foi milimétrica, como se tivesse colocado uma régua no percurso, e abriu no momento certinho, no ponto combinado, para chegar em primeiro na linha de chegada na Avenida Paulista?.Lucélia abriu vantagem no quilômetro 8 e ainda levou um susto com a aproximação da segunda colocada, Ednalva Lauriano da Silva, a Pretinha, no quilômetro 10. Pretinha foi a campeã brasileira dos 10 mil metros esse ano, com Lucélia em segundo, na pista. Ambas vão priorizar a distância para o Pan-Americano do Rio, em 2007.A vencedora da São Silvestre disse que estava bem consciente da importância da vitória. ?A ficha já caiu sim?, mas que o resultado era um sonho que vinha perseguindo há três anos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.