Comando de Leão é cada vez mais forte

Treinador chegou desacreditado, mas tem a confiança da diretoria para reformular elenco e buscar revelações na base

O Estado de S.Paulo

18 de dezembro de 2011 | 03h06

Emerson Leão chegou quase que como um simples técnico tampão no São Paulo. Mais de um ano sem exercer a função, desprestigiado, manso. Não levou o time ao objetivo, que àquela altura, depois de tanto patinar no Brasileiro, era a vaga na Libertadores. Chegou perto. E foi o suficiente para que ele ganhasse fôlego e uma chance de assinar um contrato por um ano.

Pois o Leão que começará 2012 como técnico do São Paulo é um profissional envolvido do começo ao fim com a montagem do time que terá para comandar.

Afora não participar do ato de negociar com empresários e dirigentes de clubes diretamente, Leão tem participado de tudo neste período de mudanças no Morumbi.

O departamento de futebol o consulta com relação a nomes oferecidos, corre atrás de indicações suas, formula propostas baseadas no aval dele em se desfazer de certos jogadores.

Leão faz questão de se envolver com tudo que diz minimamente respeito com o time. Nesta semana, o treinador foi até o CT de Cotia para averiguar as condições de estalagem do local, para ver se o time principal podia mesmo fazer a pré-temporada por lá. E tudo, dizem cartolas são-paulinos, sem a antiga arrogância, que tanto causou má impressão durante sua primeira passagem pelo clube em 2004/2005 Libertadores. Leão, dizem os dirigentes são-paulinos, é um homem mudado. Resta saber se ele vai conseguir mudar o São Paulo também.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.