Começa, enfim, a semifinal entre Osasco e Vôlei Futuro

Primeiro jogo será hoje, às 17 horas, em Osasco. Duelo foi remarcado por causa do acidente com o time de Araçatuba

, O Estado de S.Paulo

20 de abril de 2011 | 00h00

OSASCO

Após uma semana de indefinição, Sollys/Osasco e Vôlei Futuro entram em quadra hoje, às 17 horas, para iniciar a disputa das semifinais da Superliga Feminina - o time vencedor da série enfrenta a Unilever, na decisão do dia 30, em Belo Horizonte.

A partida seria realizada na terça-feira da semana passada, mas precisou ser adiada por causa do acidente com a delegação do time de Araçatuba. A poucos metros do Ginásio José Liberatti, em Osasco, o ônibus da equipe tombou e várias atletas se machucaram.

O time que o Vôlei Futuro colocará em quadra é uma incógnita. A assessoria de imprensa da equipe não soube informar quais atletas estão em condições de atuar. A diretoria do clube de Araçatuba também proibiu jogadoras e comissão técnica de darem entrevistas. O último treino, realizado ontem, foi fechado aos jornalistas.

Certa é a ausência da líbero Stacy Sykora, que continua internada no Hospital Sírio-Libanês (leia mais abaixo). Sua substituta direta é Stephany. Os treinos foram retomados na sexta-feira, mas o técnico William Carvalho pode não contar com a oposto Joycinha e a meio de rede Fabiana. Pelo Twitter, Joycinha afirmou não ter conseguido treinar até terça-feira, por causa de dores no pescoço. Fabiana também esteve ausente das atividades, já que levou oito pontos no braço.

Enquanto o Vôlei Futuro tentava juntar os cacos, o Osasco, atual campeão da Superliga, manteve-se treinando para brigar por sua 10.ª final consecutiva. Para o técnico Luizomar de Moura, a semana extra de treinamentos serviu para que a ponta Jaqueline melhorasse sua condição física - ela passou por cirurgia no joelho esquerdo e retornou à equipe no início do mês, pouco antes das partidas eliminatórias.

Stacy sai da UTI

A líbero do Vôlei Futuro foi transferida ontem para a unidade semi-intensiva. Ainda sem previsão de alta, a americana pediu pizza no jantar. Foi atendida pelos médicos do sírio-libanês.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.