Reuters
Reuters

Comentarista, Diego Hypólito anuncia que irá tentar vaga em Tóquio-2020

Atleta pretende voltar a competir nas etapas da Copa do Mundo para tentar voltar ao radar da seleção brasileira

Redação, Estadão Conteúdo

12 de outubro de 2019 | 20h04

Comentarista do SporTV desde julho deste ano, o ginasta Diego Hypólito anunciou nesta sábado que irá tentar uma vaga nos Jogos Olímpicos de Tóquio-2020. Ele fez o anúncio durante a transmissão do Mundial de Ginástica Artística, que está sendo realizado em Stuttgart, na Alemanha.

"Primeiro de tudo eu tenho que voltar a treinar e ver se eu estou com nível para disputar novamente essas etapas da Copa do Mundo. Segundo passo, vou ver se a confederação vai me levar para as competições, porque não depende só do Diego. Terceiro passo, vou ver se a comissão técnica vai gostar da minha ginástica. Quarto passo, quero ir para as Copas e conseguir bons resultados. Então depende de muitas situações", disse o atleta, listando o que tem de fazer para ir a Tóquio.

Diego Hypólito se inspirou no desempenho do filipino Carlos Edriel Yulo, de 19 anos, para retomar as atividades em busca de uma vaga olímpica. Yulo levou o título na disputa do solo e se tornou o primeiro atleta do país campeão mundial de ginástica. Hypólito também citou o israelense Artem Dolgopyat, prata na mesma prova.

Diego Hypólito tem 33 anos e larga experiência em Jogos Olímpicos. Ele participou em Pequim-2008, Londres-2012 e Rio-2016 e tem uma medalha de prata conquistada, justamente no solo, na última Olimpíada, disputada no Brasil.

"A gente tem que pensar no que é melhor para o país e não no que os dirigentes acham que é melhor. Temos que pensar no que o país merece. Somos um país rico de atletas e a gente tem que parar de pensar que o atleta mais velho tem que ser parado. A renovação tem que ser feita a partir do momento que o atleta que é mais velho é pior do que o que é mais novo. Eu tenho que pensar se tenho chance de medalha olímpica. Se eu tiver, acho que o país tem que levar os que têm chance de medalha olímpica, porque isso cresce, desenvolve e projeta o esporte", destacou o bicampeão mundial no solo.

Para obter a vaga olímpica, Diego teria que ser o primeiro colocado do ranking das Copas do Mundo no aparelho, posto que pertence, no momento, ao espanhol Rayderley Zapata. Só os três melhores resultados contam. Logo, Hypólito precisaria de três medalhas nas últimas quatro etapas de Copa do Mundo que restam.

A primeira das últimas quatro etapas de Copa do Mundo vai acontecer entre os dias 21 e 24 de novembro, em Cottbus, na Alemanha. As outras três serão realizadas em 2020, em Melbourne, na Austrália, Baku, no Azerbaijão, e Doha, no Catar.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.