''Comigo, o Vasco não cairia''

Entrevistas - Eurico Miranda e Roberto Dinamite: ex-presidente e atual mandatário; depois de duas décadas de poder, Eurico Miranda se exime de culpa e acusa atual diretoria de ter tirado auto-estima dos jogadores

Bruno Lousada e Sílvio Barsetti, O Estadao de S.Paulo

06 de dezembro de 2008 | 00h00

Duas décadas depois de viver como o todo-poderoso do Vasco, Eurico Miranda mantém a língua afiada e uma voracidade incrível para combater aquele que conseguiu tirá-lo do poder no clube, o atual presidente Roberto Dinamite. Cético quanto à possibilidade de o time escapar do rebaixamento, Eurico eleva o tom de voz para se defender de eventuais erros cometidos em sua longa administração.E parte para o ataque quando indagado sobre o que teria levado o Vasco a uma situação tão crítica - o risco de o clube viver hoje o dia mais triste de uma história de 110 anos, repleta de conquistas e da qual sua torcida sempre se orgulhou. Por que o Vasco chegou ao fundo do poço? Você não tem acompanhado, pô...? O Vasco chegou a essa situação porque foi levado a isso. Deixei o Vasco em oitavo lugar no Brasileiro, a três pontos da zona de classificação para a Libertadores. Os caras chegaram e disseram que o time era medíocre. Mudaram todo o departamento de futebol. Mandaram todo o pessoal embora, médicos, fisioterapeutas, gente da administração. A razão principal foi essa. Admite alguma parcela de culpa sua nisso? Minha? Como...? O que você quer que eu reconheça de culpa? Baseado em que motivo? Para o Vasco ter chegado a essa situação? Olha, meu amigo, uma coisa eu garanto. Já disse isso 300 vezes. Comigo no Vasco não havia a menor hipótese de o Vasco ir para a Segunda Divisão. Nem de longe. Eu só quero que você me diga qual é a culpa que eu possa ter nisso? Essa pergunta é para os dois, também vai ser feita ao Roberto Dinamite. Não é pergunta pros dois. Pergunta você pode fazer pros dois, para três ou para dez. Mas aponte aonde que eu possa ter algum tipo de culpa. Me diga o motivo que eu respondo. Se é por isso, se é por aquilo. Se é verdadeiro, se não é verdadeiro. Tinha toda uma estrutura montada. Se é para dizer que não tinha dinheiro, não é verdade. Deixei R$ 10 milhões em caixa pela venda do Phillipe Coutinho. E não é pouco, são R$ 10 milhões. Quais os erros cometidos pelo Roberto Dinamite? A primeira coisa foi a declaração pessoal do presidente de que o time do Vasco era fraco, era medíocre. Tirou a auto-estima dos jogadores. Você quer o quê? Aí, mudou todo o departamento de futebol. Tirou o técnico (Antonio Lopes). Eu fiz de tudo, avisei antes para que modificassem a tempo... Se for rebaixado, o Vasco se reerguerá rapidamente, a exemplo do Corinthians? Não quero admitir a hipótese de o Vasco ser rebaixado. Seria a maior vergonha em 110 anos de história do clube. A maior mácula. Nem quero pensar. E pelo lado financeiro seria bárbaro, começaria o ano com 50% da receita principal comprometida. O Vasco busca forças onde ninguém espera que existam e pode, aí é hipotético, pode dar a volta por cima. Mas é extremamente complicado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.