Comissão de ética da federação de atletismo suspende dirigentes do Quênia

Três importantes dirigentes de atletismo do Quênia foram suspensos pela comissão de ética da entidade que comanda o esporte, a Iaaf, por "potencial subversão do processo de controle antidoping" no país africano.

REUTERS

30 de novembro de 2015 | 15h42

O presidente da federação de atletismo do Quênia, Isaiah Kiplagat, o vice-presidente David Okeyo e o líder da equipe no campeonato mundial de 2015, Joseph Kinyua, foram suspensos por 180 dias "no interesse da integridade do esporte", disse a Iaaf em um comunicado nesta segunda-feira.

No mais recente escândalo a atingir o atletismo, o trio também enfrenta acusações de que estaria envolvido em "potencial desvio indevido de fundos recebidos da Nike pela federação do Quênia".

A Iaaf também afirmou que um caso "foi constatado em relação ao senhor Kiplagat sobre o recebimento, pessoalmente ou pela federação do Quênia, de um aparente presente de dois veículos a motor" da Federação de Atletismo do Catar em 2014-15.

A comissão de ética ressaltou que as suspensões são provisórias e que "de modo algum" prejudicou o resultado da investigação a ser realizada pelo advogado Sharad Rao.

Kiplagat, Okeyo e Kinyua não puderam ser encontrados para comentários.

(Reportagem de Ian Chadband)

Tudo o que sabemos sobre:
ATLETISMOQUENIANOSSUSPENSOS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.