Comitê atenua pena e permite que russos busquem vagas na Paralimpíada de Inverno

Competição será realizada em Pyeongchang, na Coreia do Sul, no próximo ano

Estadao Conteudo

06 de setembro de 2017 | 15h47

O Comitê Paralímpico Internacional (IPC, na sigla em inglês) atenuou nesta quarta-feira a punição imposta ao paradesporto da Rússia ao anunciar que competidores do seu país poderão participar de eventos classificatórios para os Jogos Paralímpicos de Inverno de Pyeongchang, na Coreia do Sul, que serão disputados em 2018.

No ano passado, o IPC proibiu a participação de qualquer russo nos Jogos Paralímpicos do Rio após uma investigação da Agência Mundial Antidoping acusar o país de contar com um esquema de uso generalizado de substâncias proibidas e seu acobertamento com apoio estatal, contravenção que incluía os esportes paralímpicos.

A nova decisão, desta quarta-feira, permite aos russos "competirem como neutros" nos eventos classificatórios do esqui alpino, esqui cross-country, biatlo e snowboard. Ainda não há uma definição sobre se o banimento da Rússia será anulado para a Paralimpíada de Inverno, agendada para março em Pyeongchang.

O IPC destacou que a Rússia ainda deve cumprir as suas principais demandas. Essas incluem a aceitação das descobertas da Wada, a reformulação da agência nacional de antidoping e a adoção de mudanças na forma como o esporte paralímpico russo é administrado.

"O IPC também espera que esta decisão incentive ainda mais o Comitê Paralímpico Russo e, fundamentalmente, as autoridades russas a cumprirem os critérios de reintegração restantes o mais breve possível", disse Philip Craven, presidente do IPC, em comunicado divulgado no site oficial da entidade.

Tudo o que sabemos sobre:
ParalimpíadaRússia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.