Comitê Organizador dos Jogos do Rio faz convênio com a Interpol

Polícia Internacional vai auxiliar no combate à falsificação de ingressos, manipulação de resultados e outros

AE, Agência Estado

22 de outubro de 2013 | 14h48

CARTAGENA - O Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos do Rio de Janeiro anunciou nesta terça-feira um convênio com a Interpol. Pelo acordo de cooperação, firmado em Cartagena, na Colômbia, a entidade vai auxiliar o Comitê a combater os diversos crimes relacionados ao esporte, como falsificação de ingressos, manipulação de resultados, doping e proteção às marcas.

"O apoio da Interpol é fundamental em um evento desta dimensão, que envolve a interação entre diversas nacionalidades. O acordo estabelece o suporte do serviço de inteligência no combate contra todas as ações que possam afetar a integridade do esporte", afirmou Luiz Fernando Corrêa, diretor de Segurança do Rio 2016. Corrêa explicou que a assinatura do convênio com antecedência permitirá que o trabalho em conjunto já possa ser realizado nos eventos que servirão de teste para a Olimpíada. "Acertar o acordo a três anos dos Jogos vai permitir que o trabalho seja implementado nos eventos-teste", justificou.

O convênio foi assinado na noite de segunda-feira durante a 82ª Assembleia da Interpol, realizada em Cartagena. "A Interpol historicamente tem uma capacidade de mobilizar os melhores especialistas de todas as polícias do mundo para atender a demanda. É um acordo muito importante para o Comitê", disse o secretário-geral da Interpol, Ronald Noble.

Tudo o que sabemos sobre:
Jogos de 2016Interpolconvênio

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.