Comitê sul-africano diz que Semenya não pode competir

O Comitê Olímpico Sul-Africano afirmou que Caster Semenya, campeã mundial dos 800 metros, não pode competir enquanto a Associação Internacional das Federações de Atletismo (Iaaf, na sigla em inglês) não encerrar a investigação sobre o gênero do atleta.

AE-AP, Agencia Estado

15 de janeiro de 2010 | 12h41

O comitê divulgou uma nota oficial nesta sexta-feira, após uma semana de declarações conflitantes sobre a possibilidade de Semenya estar liberada para competir. Michael Seme, técnico da atleta, declarou que ela estava liberada para voltar às pistas.

Presidente do comitê sul-africano, Gideon Sam disse que "Caster Semenya não está liberada para correr em nenhum meeting ou corrida oficial. O caso sobre os resultados do seu teste de gênero ainda estão com a organização internacional responsável, a Iaaf".

Horas antes da final dos 800 metros no Mundial de Berlim, em agosto de 2009, a Iaaf ordenou a realização de exames por Semenya, diante das suspeitas surgidas por conta do seu corpo musculoso e da rápida evolução de seus tempos. E a polêmica colocou o seu futuro no atletismo em dúvida.

Semenya também realizou testes na África do Sul, antes do Mundial de Atletismo. Em setembro de 2009, um jornal australiano afirmou que a sul-africana teria órgãos sexuais masculinos e femininos, mas a Iaaf se recusou a confirmar as acusações.

Tudo o que sabemos sobre:
atletismoCaster Semenya

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.