Como sempre, Itália sofre, mas obtém vaga

Como sempre acontece, a Itália sofreu, mas garantiu a classificação e está nas quartas de final da Eurocopa. O time do técnico Cesare Prandelli venceu a Irlanda, por 2 a 0, gol de Cassano e Balotelli, um em cada tempo. Com o resultado, os italianos terminaram na segunda posição do Grupo C, com cinco pontos, atrás dos espanhóis, e vão enfrentar o primeiro colocado do Grupo D (França, Inglaterra ou Ucrânia), domingo, em Kiev.

POZNAN, POLÔNIA, O Estado de S.Paulo

19 de junho de 2012 | 03h06

Prandelli, a exemplo de seus jogadores, estava eufórico após o apito final do juiz. "Além da qualidade técnica, hoje (ontem) jogamos com o coração", disse o treinador. "Sofremos muito, mas merecemos o resultado."

O técnico italiano fez questão de ressaltar o trabalho dado pelos irlandeses. "Minha alegria com o time é porque vencemos um adversário muito duro, que vendeu muito caro a derrota." No prosseguimento da competição, Prandelli prefere não escolher rival. "Encontramos o caminho para buscar os resultados. Jogar com muita vontade, pois os desafios serão enormes."

Antonio Cassano, autor do primeiro gol, após desviar de cabeça cobrança de escanteio aos 36 minutos do primeiro tempo, estava repleto de confiança para a disputa das quartas de final. "Não temos medo de ninguém. O mais importante era conseguir a classificação e ela veio de forma trabalhosa, como devem ser as grandes conquistas. Ganhamos confiança para as fases decisivas", disse o jogador.

Cassano, que atua pelo Milan, retornou ao futebol em abril, após sofrer uma cirurgia cardíaca em novembro.

Desabafo. O segundo gol italiano foi de Mario Balotelli, aos 45 da etapa final, com uma linda puxada, também após cobrança de escanteio.

Balotelli, que constantemente sofre com insultos racistas durante os jogos, precisou ser contido pelo companheiro Leonardo Bonucci, para não reagir contra os torcedores presentes ao estádio de Poznan.

Bonucci chegou a tapar a boca de Balotelli com as mãos, impedindo que o colega falasse algo ou mexesse com as mãos, podendo ser punido por isso.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.