Marcello Zambrana/Divulgação
Marcello Zambrana/Divulgação

Complexo do Ibirapuera foi palco de muitas conquistas e recebeu astros do esporte mundial

Diversas modalidades foram disputadas no local, que já recebeu Muhammad Ali, Roger Federer e tantos outros nomes

Marcos Antomil, especial para O Estadão

01 de dezembro de 2020 | 18h42

Grandes eventos esportivos e culturais aconteceram no Complexo Desportivo do Ibirapuera. Vôlei, basquete, atletismo, handebol, futebol, natação, boxe, tênis, ginástica artística e tantos outros usaram a estrutura do ginásio Geraldo José de Almeida, do estádio Ícaro de Castro Melo e do complexo aquático Caio Pompeu de Toledo.

Com a rejeição do tombamento do Complexo Desportivo do Ibirapuera pelo Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artísitico e Turístico (Condephaat), a concessão das áreas que compreendem os espaços esportivos podem passar a atender outros fins.

É notória a importância do Ibirapuera para o desenvolvimento e conquistas esportivas brasileiras. Eventos nacionais e internacionais marcaram época no espaço. Em 1963, os Jogos Pan-Americanos foram disputados em São Paulo e ali foram realizadas diversas provas.

Por três vezes (1971, 1983 e 2006), o ginásio recebeu o Campeonato Mundial de Basquete Feminino. Em 1971, o Brasil terminou com a medalha de bronze na competição. Oito anos mais tarde, no dia 6 de outubro de 1979, o Clube Sírio - que contava com Oscar, Marcel, Marquinhos Abdalla, Saiani e outros craques - conquistou o campeonato mundial de basquete, ao superar o Bosna, da Iugoslávia, por 100 a 98. Cinco mil pessoas invadiram a quadra para comemorar o título. Em 2015, o Real Madrid foi campeão da Copa Intercontinental de basquete, ao superar o Bauru, no local.

No vôlei, o palco também ficou tradicionalmente conhecido por receber decisões de clubes e grandes jogos de seleções. O mundial feminino de 1994 teve Cuba no lugar mais alto do pódio, e o Brasil, em segundo. A Liga Mundial também foi decidida no Ibirapuera em 1993, com a seleção masculina levando o ouro, superando a Rússia, por 3 sets a 0. Aquela equipe contava com Maurício, Giovane, Tande, Carlão e Marcelo Negrão, sob o comando de José Roberto Guimarães.

Em 2011, o ginásio recebeu jogos do Mundial de Handebol Feminino. Na final, a Noruega foi campeã sobre a França (32 a 24). O Brasil terminou em 5º. No mesmo palco, ainda em 2011, houve a Copa do Mundo de Judô e o ATP Challenger Tour Finals. No tênis, Guga, Pete Sampras, Jimmy Connors, Roger Federer, Maria Sharapova, Victoria Azarenka e Serena Williams também exibiram seus talentos no Ibirapuera, assim como grandes pugilistas brasileiros: Éder Jofre, Popó, Adilson Maguila e Miguel de Oliveira. Em 1971, Muhammad Ali realizou duas lutas no Ginásio do Ibirapuera.

Outras modalidades de luta também foram recepcionadas no complexo esportivo. Em 2012, o WWE RAW World Tour aconteceu no Ibirapuera. O mesmo se passou com o UFC, em 2013, quando o brasileiro Vitor Belfort derrotou o inglês Michael Bisping por nocaute técnico, e em 2016, o americano Ryan Bader levou a melhor sobre o brasileiro Minotouro, Antônio Rogério Nogueira.

O Ibirapuera também assistiu a grandes exibições dos ex-ginastas brasileiros Daiane dos Santos e Diego Hypólito na fase final da Copa do Mundo de Ginástica Artística, em 2006. Ambos foram campeões no solo.

O Estádio do Ibirapuera recebeu, ao longo de sua história, grandes personagens do atletismo mundial, brasileiros e estrangeiros, entre eles Carl Lewis, Serguei Bubka, Ben Johnson, Joaquim Cruz, Maurren Maggi e Robson Caetano.

Em 1996, o estádio foi usado algumas vezes pelo Santos, que reformava a Vila Belmiro, e pelo Corinthians. Naquele ano, pelo Campeonato Brasileiro, a equipe santista atuou no local sete vezes e sofreu apenas uma derrota, para o Sport, por 2 a 1. Já pela Supercopa Libertadores, vitória sobre o Peñarol, do Uruguai, por 3 a 0.

O Corinthians, por sua vez, enfrentou o Fluminense, pelo Campeonato Brasileiro, em 13 de outubro de 1996. Vitória corintiana por 3 a 1. No início do ano seguinte, o São Paulo jogou ali como visitante, pelo Campeonato Paulista, e também venceu: 2 a 1 sobre o Juventus, da Mooca.

No mesmo gramado, a Copa São Paulo de Futebol Júnior colecionou partidas entre as décadas de 1970 e 1990. Portuguesa, Grêmio, Santos, Coritiba, Vitória e América-MG foram algumas das equipes que atuaram no Estádio Ícaro de Castro Melo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.