Conca fica com troféu de craque do Brasileiro

Em evento realizado pela CBF, Corinthians foi o clube com mais premiados, quatro: Bruno César, Elias, Jucilei e Roberto Carlos

Silvio Barsetti / RIO, O Estado de S.Paulo

07 de dezembro de 2010 | 00h00

Deu a lógica e a festa de premiação dos melhores do Campeonato Brasileiro teve sotaque castelhano. O evento realizado pela Confederação Brasileira de Futebol (CBF), ontem, no Teatro Municipal, no Rio, consagrou a temporada do meia argentino Conca, do Fluminense. Ele foi escolhido como o "Craque do Brasileirão", em votação da qual participaram jornalistas e técnicos, e levou também o prêmio de "Craque da Galera", na qual torcedores votaram pela internet.

Para o Corinthians, a cerimônia teve um gostinho de consolo. O clube do Parque São Jorge se destacou na noite com o maior número de premiados. Foram quatro: a dupla Elias e Jucilei levou na categoria volantes. Roberto Carlos foi escolhido o melhor lateral-esquerdo, enquanto Bruno César ficou com o troféu de revelação.

Além dos atletas premiados, os corintianos foram homenageados também pelo centenário, completado neste ano, e por uma menção honrosa à carreira do atacante Ronaldo. "É uma honra muito grande ter servido todos esses anos à seleção brasileira. Era como um exército e espero que tenha sido um exemplo para toda essa criançada", discursou o atacante. "Realmente estou muito emocionado, muito feliz. Parabéns a todos os premiados e ao Fluminense pelo título. E aos torcedores do Fluminense mais exaltados, queria dizer que para gostar do seu clube você não precisa odiar o outro." Após o discurso, Ronaldo, que vinha sendo vaiado, acabou aplaudido de pé.

O evento foi marcado pela presença de algumas das principais autoridades do País. Lá estiveram o presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, o ministro dos Esportes, Orlando Silva Júnior, o governador do Rio, Sérgio Cabral, e o prefeito da cidade, Eduardo Paes.

Arquibancada. Acostumadas aos espetáculos teatrais de às óperas, as tribunas do Teatro Municipal do Rio tiveram uma noite de arquibancada durante a festa do Campeonato Brasileiro. Torcedores do Fluminense não se contiveram e, apesar da obrigação de uso de terno e gravata, levaram faixas e bandeiras do clube, que no dia anterior sagrou-se campeão depois de 26 anos.

O resultado era constatado nas reações a cada anúncio feito durante a cerimônia. Qualquer citação a Conca era motivo para aplausos e gritos de "olê, olê, olá, Conca, Conca". Já o Corinthians, principal adversário dos cariocas na briga pelo título, era o mais vaiado.

Homenagens. Além da premiação aos melhores jogadores do ano, outras homenagens foram feitas durante a noite. Uma delas foi à torcida do Bahia, clube que volta à Série A do Brasileiro em 2011. Outra foi aos atletas que fizeram parte da seleção brasileira que conquistou o tricampeonato do mundo, no México, em 1970. Nesse instante houve uma gafe: o capitão do tri, Carlos Alberto Torres foi convidado a subir ao palco. Já lá em cima, o apresentado pediu a ele que erguesse a taça, repetindo o gesto do título. "Acontece que estou com um problema aqui no ombro e não consigo", lamentou o capitão.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.