Concessão de bolsas para atletas diminuiu, segundo TCU

Dados coletados pelo Tribunal de Contas da União (TCU) até 2009 mostram que a concessão de bolsas para atletas diminuiu de 2008 para 2009. Além disso, o Ministério do Esporte vinha gastando um terço desses valores em esportes que não fazem parte da Olimpíada.

, O Estado de S.Paulo

17 de fevereiro de 2011 | 00h00

A investigação mostrou ainda que o governo não aplica já nas escolas recursos para formar novos atletas e apontou não haver um programa nacional para identificar novos talentos e, portanto, potenciais medalhistas.

"Para um País que pretende estar entre as dez maiores potências olímpicas, evidencia-se que a atuação do Ministério do Esporte nos últimos anos esteve quase restrita à concessão de bolsas para atletas, ficando as outras ações importantes para o desenvolvimento e estruturação do esporte de alto rendimento com investimentos reduzidos", conclui a auditoria aprovada ontem por unanimidade pelo plenário TCU.

Um dos problemas apontados já foi corrigido pelo Ministério, conforme o próprio TCU informou. O governo passou a restringir a oferta de bolsas para praticantes de esportes não olímpicos. Além disso, uma outra mudança na legislação passou a permitir a oferta de bolsa para atletas de base.

Especialistas do esporte ouvidos pelo Estado disseram que não há mais tempo para que o Brasil crie grandes campeões até 2016.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.