Divulgação
Divulgação

Concessionária do Mineirão entra na Justiça para cobrar dívida do Cruzeiro

Diretoria celeste parou de pagar os custos de operação no estádio

Estadão Conteúdo

17 de março de 2016 | 18h17

A Concessionária Minas Arena, responsável pelo Mineirão, entrou na Justiça nesta quinta-feira para cobrar cerca de R$ 9 milhões do Cruzeiro. A diretoria celeste parou de pagar os custos de operação no estádio depois que o Atlético-MG disputou lá a final da Copa Libertadores de 2013 com isenção de taxas.

O Cruzeiro alega que no contrato firmado com a Minas Arena há uma cláusula que garante ao clube os mesmos benefícios oferecidos a outros clubes para utilizarem o estádio. Já a concessionária rebate, argumentando que o dispositivo só vale em caso da assinatura de um novo contrato.

O fato é que desde meados de 2013 o Cruzeiro não paga taxas relativas a funcionários, segurança, água e luz do Mineirão quando joga lá. No balanço financeiro de 2014, publicado em abril do ano passado, o clube admitiu uma dívida de R$ 5,5 milhões que viria a ser discutida na Justiça.

O Cruzeiro tem contrato de 25 anos para utilizar o Mineirão e, exceto com relação a esse tema, tem bom relacionamento com a Minas Arena, que será a concessionária do estádio, estadual, pelo mesmo período. O contrato foi firmado no final de 2012.

Tudo o que sabemos sobre:
JustiçaCruzeiroArena

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.