Confederação brasileira busca interessados em jogar curling na Olimpíada

Único país sul-americano filiado à federação internacional de curling, o Brasil tem direito a uma vaga na segunda edição dos Jogos Olímpicos de Inverno da Juventude, em fevereiro do ano que vem, em Lillehammer (Noruega). Mas não há nenhum atleta federado que possa ser convocado.

Estadão Conteúdo

22 de maio de 2015 | 15h50

Por isso, a Confederação Brasileira de Desportos no Gelo (CBDG) está procurando atletas, nascidos em 1998, 1999, 2000 ou 2001, que já saibam jogar curling, para participar de uma seletiva. A entidade não divulgou onde ela acontecerá, mas o mais provável é que seja no Canadá. No Brasil, não existem pistas de curling. Como a disputa olímpica será mista, a CBDG procura dois meninos e duas meninas.

No mês passado, o Brasil disputou pela segunda vez o Mundial de Duplas Mistas, disputa que não é olímpica. Com lugar garantido na competição por ser filiado à World Curling, o País ganhou uma partida no Mundial de 2014 e outra no deste ano. Marcelo Mello e Aline Lima, que formam a dupla brasileira, moram e treinam no Canadá.

Em 2014, a CBDG também reativou a seleção brasileira masculina de curling, que chegou a disputar uma seletiva contra os EUA em busca de uma vaga no Mundial da modalidade, sendo derrotada fora de casa. Mello, que é o capitão do time, é o responsável pelo recrutamento dos garotos para ir a Lillehammer.

Tudo o que sabemos sobre:
curling

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.