AO VIVO

Confira tudo sobre a Copa do Mundo da Rússia 24 horas por dia

Confederação de Badminton impede 10 federações de votar e reelege presidente

Eleito pela primeira vez em 2012, o dirigente do Piauí recebeu 10 votos

Demétrio Vecchioli, Estadão Conteúdo

07 Outubro 2016 | 14h52

A Confederação Brasileira de Badminton (CBBd) reelegeu nesta sexta-feira, para mais quatro anos no cargo, o presidente Francisco Ferraz de Carvalho. Eleito pela primeira vez em 2012, o dirigente do Piauí recebeu 10 votos, contra dois do candidato Cassio Rubens Dias de Toledo Filho, ligado à federação paulista, que foi árbitro nos Jogos Olímpicos do Rio.

De acordo com a CBBd, a entidade tem 21 federações estaduais filiadas. Dessas, porém, apenas 11 tiveram direito a voto. Outras 10 foram impedidas, pelos mais diversos motivos. Algumas, por não organizar campeonatos. Outras, porque foram filiadas a tempo inferior ao mínimo necessário para ter direito a voto.

Organizador dos principais campeonatos internacionais organizados no País, Cassio Rubens contava com o apoio de boa parte das federações que acabaram impedidas de votar. Além das entidades estaduais, também a comissão de atletas teve direito a voto, num total de 12 votantes.

A eleição aconteceu em um hotel de Teresina, no Piauí, terra do presidente agora reeleito. A CBBd tem três sedes, sendo uma no Rio, outra em Campinas, onde fica o centro de treinamento da modalidade, e uma terceira em Teresina.

Apenas as federações de Amazonas, Maranhão, Paraíba, Sergipe, Ceará, Brasília, Rio Grande do Sul, Espírito Santo, Rio Grande do Norte, São Paulo e Santa Catarina puderam votar. Entre as que foram impedidas, está a do Rio de Janeiro, de onde vêm os representantes do País nos Jogos Olímpicos do Rio: Ygor Coelho e Lohaynny Vicente.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.