WSL
WSL

Confira como estão as chances de título do Mundial de Surfe

Mineirinho tem ótimas possibilidades; Medina ainda está vivo

Igor Ferraz, O Estado de S. Paulo

16 de outubro de 2015 | 10h17

Nesta quinta-feira, o brasileiro Gabriel Medina finalmente voltou a conquistar o título de uma etapa do Circuito Mundial de Surfe, em Hossegor, na França. Já não era sem tempo. Ele derrotou o australiano Bede Durbidge em uma apresentação sólida na final e, com os 10.000 pontos ganhos pelo título da etapa, chegou ao 5º lugar no campeonato. Mas, afinal, quais são as chances de Medina levantar o troféu da temporada pela segunda vez consecutiva? Ele é o atual campeão do circuito. E quais são as possibilidades de outro atleta brasileiro ficar em primeiro lugar, confirmando o que os estrangeiros chamam de 'Braziliam Storm' no surfe?

A conta é relativamente simples: o vencedor da etapa leva 10.000 pontos e o vice, 8.000. Quem chegar até as semifinais da etapa fica com 6.500 pontos. Até as quartas, 5.200. Quem vai até a terceira fase (oitavas de final) leva 4.000 pontos. Até a segunda, 1.750 pontos e, por fim, lesionados e eliminados na 1ª fase, que ficam com 500 pontos. É só somar. 

Ainda restam duas etapas da atual temporada: em Peniche, Portugal, e depois na lendária Pipeline, no Havaí, onde na temporada passada Gabriel Medina se tornou campeão. Desta forma, ainda há 20.000 pontos em disputa, o que abre a briga pelo título até o atual 9º colocado, o francês Jeremy Flores, que tem 33.000 pontos, mas precisa ter um desempenho fantástico e ainda contar com muita sorte. Mick Fanning, líder no Mundial, soma 49.900. Ele é seguido de muito perto pelo brasileiro Adriano de Souza, o Mineirinho, que tem 49.450. É o brasileiro em melhor condição de repetir Medina e fazer a festa no Havaí.

Para Fanning, que até foi atacado por tubarão neste ano, basta 'apenas' vencer as duas etapas, ou, pelo menos, terminar à frente dos outros oito concorrentes ao título em ambas ocasiões, já que depende só de si. Mineirinho, por sua vez, precisa torcer contra o australiano tricampeão, mas também tem boas chances: se terminar na frente do rival na próxima etapa, já consegue ultrapassá-lo. Para chegar a Pipeline na liderança, basta ao brasileiro chegar às semifinais em Portugal, desde que Fanning já tenha sido eliminado.

A situação de Medina, em termos de título, é um pouco mais complicada, mas também possível: precisa vencer as próximas duas etapas e torcer por tropeços de Fanning e Mineirinho, que poderiam ir, no máximo, até as quartas de final em cada uma. O campeão também pode levantar o título até mesmo se não vencer em Portugal e no Havaí, mas teria de torcer por tropeços ainda maiores dos dois líderes, além de ter que secar os australianos Owen Wright e Julian Wilson, que também estão à sua frente. Medina ficou muito para trás, mas todo mundo sabe que ele é um dos surfista capazes de tirar 10 em boas ondas.

As chances de Filipe Toledo, o Filipinho, são muito parecidas com as de Medina, já que ele possui apenas 350 pontos a menos que o campeão. Kelly Slater, onze vezes campeão, tem 34.150 pontos. Ele aposta em um 'milagre' para vencer o título: tem de vencer as duas etapas, torcer para Fanning e Mineirinho irem, no máximo, até a segunda fase em ambas, além de esperar tropeços de Wright, Wilson, Medina e Filipinho. As chances do brasileiro Ítalo Ferreira são praticamente as mesmas, já que soma 34.100 pontos na oitava colocação. Jeremy Flores precisaria de um milagre ainda maior.

Nat Young, 10º colocado com 29.700 pontos, já não tem mais chances de título. A partir do dia 20, em Peniche, serão traçados os novos capítulos da briga pela taça do Circuito Mundial de Surfe de 2015.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.