Confusão no 1º dia da venda de ingressos para a final paulista

ESPECIAL PARA O ESTADO / SANTOS

Sanches Filho, O Estado de S.Paulo

22 de abril de 2010 | 00h00

Filas, confusão e muitas reclamações. Esse foi o saldo do primeiro dia de venda dos ingressos para o jogo de domingo da decisão do Campeonato Paulista entre Santo André e Santos, às 16 horas, no Pacaembu.

Na Vila Belmiro, houve atraso de quase duas horas no atendimento ao torcedor, que deveria ter se iniciado às 9 horas - a fila havia começado a se formar às 7 horas. A venda foi encerrada às 20 horas, sem a informação do número de ingressos vendidos (o custo varia entre R$ 50 e R$ 180 para os santistas).

Os principais problemas foram observados na Vila. Como o horário para a abertura do guichê não foi respeitado, houve muitos protestos dos torcedores, obrigados a aguardar sob sol forte. Segundo o setor de arrecadação do Santos, o atraso ocorreu na chegada dos bilhetes.

No Pacaembu, embora as bilheterias tenham sido abertas às 9 horas, também houve revolta e reclamações, inicialmente com relação às pessoas que furavam a fila, aproveitando-se da falta de policiamento. Duas horas antes do início das vendas, aproximadamente 150 pessoas procuravam se organizar em filas.

Por volta das 11h a fila já era bem maior, principalmente porque foram abertas apenas três das seis bilheterias. O que também provocou demora na compra de ingresso foi o uso de cartão no pagamento, além da exigência de documento para comprovar idade ou condição de estudante - para o torcedor interessado em meia entrada.

Falta de informações. Apesar de o mando de campo ser do Santo André, os santistas estarão em número muito superior no Pacaembu. A assessoria do Santos, porém, apenas informou que restam entradas para todos os setores da carga total de 36 mil. Os bilhetes estarão à venda hoje e amanhã entre 9 e 20 horas. Se sobrarem ingressos após o fechamento das bilheterias, amanhã, haverá venda no sábado, e no domingo até as 12 horas.

O bilhete mais barato é o do tobogã, R$ 40, mas o setor é reservado ao Santo André. A arquibancada custa R$ 50, a cadeira laranja R$ 80, a numerada descoberta R$ 120 e a coberta R$ 180.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.