Divulgação
Divulgação

Conheça Marcelo Magalhães, novo secretário do Esporte do governo Bolsonaro

Padrinho de casamento de Flávio Bolsonaro, Marcelo já gerenciou imagem de atletas e legado olímpico

Redação, O Estado de S.Paulo

28 de fevereiro de 2020 | 19h25

O presidente da República Jair Bolsonaro (sem partido) nomeou nesta sexta-feira o novo titular da Secretaria Especial do Esporte do governo federal, Marcelo Reis Magalhães. O novo secretário já trabalhou gerenciando a imagem de atletas e estava no Escritório de Governança do Legado Olímpico (EGLO), autarquia responsável por gerir as instalações esportivas da Olimpíada de 2016, em especial os Parques Olímpicos da Barra da Tijuca e de Deodoro.

Magalhães se formou em jornalismo, mas nunca exerceu a profissão. Sua área profissional acabou se tornando o mercado esportivo, trabalhando principalmente na captação de recursos. Segundo o UOL, ele gerenciou as imagens de atletas brasileiros renomados como Bia e Branca Feres (nado sincronizado), Flávio Canto (judô), Isaquias Queiroz (canoagem) e Fabiana Beltrame (remo).

Também conhecido como 'Marcelo Negão', Magalhães é amigo de infância e padrinho de casamento do senador Flávio Bolsonaro. Ao ser chamado para chefiar o EGLO, Magalhães negou que a amizade com o senador fosse motivo para a indicação, citando o entendimento do mercado e a boa relação com as pessoas do meio esportivo ao portal UOL.

Em 3 de fevereiro de 2020, Magalhães foi chamado a chefiar o EGLO, em meio a uma disputa de poder na secretaria de esporte entre militares e não-militares dentro da pasta - ele responderia diretamente ao então ministro da Cidadania, Osmar Terra, sem passar pelo então secretário, o general Décio Brasil.

Com a substituição de Terra por Onyx Lorenzoni (DEM-RS) na chefia do Ministério da Cidadania em 18 de fevereiro, o Décio Brasil foi exonerado e Magalhães assume o cargo de Secretário Especial do Esporte. Ele será o terceiro no cargo desde que Bolsonaro chegou assumiu o poder: antes de Décio Brasil, o também general Marco Aurélio Vieira esteve no comando da pasta entre janeiro e abril de 2019.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.