Conhecer Carpegiani é arma do rival

Os jogadores do Atlético-PR não acreditam que o conhecimento que o técnico do São Paulo, Paulo César Carpegiani, tem de suas características possa ser benéfico apenas para as pretensões dos paulistas hoje, às 21 horas, na Arena de Barueri. "Se ele trabalhou aqui de um jeito, nós temos certeza de que trabalhará lá da mesma forma", diz o volante Vítor. "Ele conhece bem o nosso grupo, mas o nosso trabalho está sendo bem feito, a gente está focado em um só objetivo, que é a Libertadores."

Evandro Fadel, O Estado de S.Paulo

28 de outubro de 2010 | 00h00

Em 34 duelos entre os times, são 11 vitórias para cada lado e 12 empates. O próprio técnico Sérgio Soares, que assumiu após Carpegiani, acentuou que fez algumas mudanças, como a manutenção da bola mais tempo no chão.

Quando chegou, ele disse ter percebido que o time "esticava" muito as jogadas. "Então, a gente passou a trabalhar a posse de bola, a trabalhar com ela no chão, e também colocamos mais um atacante", afirmou.

O time terá desfalques importantes. O lateral Élder Granja, o meia Paulo Baier e o atacante Maikon Leite estão contundidos, o volante Ivan Gonzalez está suspenso e o lateral Wagner Diniz não joga por questões contratuais de seu empréstimo. O zagueiro Rhodolfo e o meia Branquinho dependem de exames para entrar em campo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.