Mario Valdez/Reuters
Mario Valdez/Reuters

Conmebol fatura mais de R$ 1 milhão com multas

Em menos de um mês de funcionamento, Tribunal de Disciplina da entidade já aplicou nove sanções aos clubes

Raphael Ramos, O Estado de S.Paulo

15 de março de 2013 | 02h01

Criado no início do ano com o objetivo de "civilizar" as competições organizadas pela Confederação Sul-Americana de Futebol (Conmebol), o Tribunal de Disciplina já rendeu mais de R$ 1 milhão aos cofres da entidade em menos de um mês de funcionamento. O dinheiro foi arrecadado por meio de multas aplicadas aos clubes por infrações ao Código de Disciplina. Os casos variam desde morte de torcedor a atraso para o início de partida.

"Com o tribunal, o futebol sul-americano está mandando uma clara mensagem contra a violência para a sociedade de todos os países do continente", disse ao Estado o porta-voz da Conmebol, Nestor Benítez.

Segundo Benítez, o dinheiro arrecadado será usado para promover o esporte na região e qualificar a arbitragem. "A principal missão da Conmebol é fomentar o futebol e todas as verbas são canalizadas para isso. A América do Sul é a região que mais revela jogadores no mundo. Temos competições sub-17 e sub-20 de altíssimo nível. Também investimos muito dinheiro na formação dos árbitros", disse.

A primeira sanção do Tribunal de Disciplina foi aplicada no dia 23 de fevereiro e atingiu São Paulo e Tigre pelos incidentes na final da Copa Sul-Americana do ano passado. Cada clube teve de pagar multa de US$ 100 mil (R$ 196 mil) e o Tricolor perdeu o mando de campo de um jogo.

Depois, foram aplicadas mais sete sanções, quase todas relacionadas ao mau comportamento da torcida. A multa mais alta até agora foi imposta ao Corinthians. O clube teve de pagar US$ 200 mil (R$ 392 mil) após a morte de Kevin Espada, atingido por um sinalizador na partida contra o San Jose.

O Vélez Sarsfield, multado inicialmente em US$ 100 mil (R$ 196 mil) depois de uma briga provocada pelos seus torcedores em partida contra o Peñarol, conseguiu reduzir o valor para US$ 50 mil (R$ 98 mil). Duas punições foram por atraso. O Atlético-MG retardou em cinco minutos o início do jogo contra o Arsenal e levou US$ 10 mil (R$ 19,6 mil) de multa, assim como o Cerro Porteño, que atrasou para o segundo tempo diante do Tolima.

Cartões. As multas aos clubes por atos de indisciplina foram adotadas no mesmo ano em que a entidade mudou o regulamento da Libertadores. Antes, os jogadores tinham de pagar US$ 100 (R$ 196) por cartão amarelo. Agora, a Conmebol deixou de receber esse dinheiro, mas o atleta tem de cumprir um jogo de suspensão a cada três amarelos.

Tudo o que sabemos sobre:
ConmebolFutebol

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.