Fabio Motta/Estadão
Fabio Motta/Estadão

Conselho da Iaaf decide manter suspensão da Rússia por escândalo de doping

Governo local é acusado de participar de um esquema para forjar exames de seus atletas

Redação, Estadão Conteúdo

11 de março de 2019 | 09h58

A Iaaf (Associação Internacional das Federações de Atletismo, na sigla em inglês) manteve nesta segunda-feira a suspensão por tempo indeterminado da Rússia - que teve seu 10.º recurso recusado desde o início da punição em novembro de 2015 - devido ao caso de doping apoiado pelo Estado, considerando que ainda não foram cumpridas duas condições.

O Conselho da Iaaf, reunido em Doha, no Catar, explicou que quer que a Rússia pague os custos do processo e que ainda aguarda pelo resultado das amostras recolhidas pela Agência Mundial Antidoping (Wada, na sigla em inglês) no laboratório de Moscou, em janeiro.

De acordo com Rune Andersen, diretor do grupo de trabalho da Iaaf para o caso de doping na Rússia, a Federação Russa de Atletismo tem apresentado alguns problemas logísticos em relação ao pagamento, que o organismo internacional pretende resolver em breve. "Os dados (do laboratório de Moscou) estão para serem autenticados pela Wada, que considera a transmissão dos resultados para a AIU (Unidade para a integridade do Atletismo) uma prioridade", disse.

O caso remonta ao escândalo de doping revelado em um relatório do dirigente canadense Richard McLaren, que descobriu uma rede destinada a forjar resultados de controles que envolvia membros do Estado russo. Essa situação levou à exclusão do atletismo do país dos Jogos Olímpicos do Rio-2016 e do Mundial de 2017, além da participação sob bandeira neutra nos Jogos de Inverno de PyeongChang-2018, na Coreia do Sul.

Ao contrário do que acontece com a Iaaf, a Wada e o Comité Olímpico Internacional (COI) já suspenderam as sanções à Rússia.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.