Consulado se prepara para invasão da Fiel

Representação do Brasil no Japão vai distribuir 20 mil cartilhas com dicas para os corintianos que forem ao torneio

Raphael Ramos, O Estado de S.Paulo

29 de setembro de 2012 | 03h04

SÃO PAULO - Depois de a Fifa admitir que o Mundial de Clubes deste ano pode ter um novo recorde de público por causa do entusiasmo do torcedor do Corinthians com o torneio, o Consulado Geral do Brasil em Tóquio já começa a se preparar para a "invasão" alvinegra ao País em dezembro.

São esperados 10 mil torcedores vindos do Brasil. Em dias de jogos, porém, a previsão é a de que o Corinthians poderá ter o apoio de até 20 mil pessoas nos estádios. Isso porque 217 mil brasileiros moram no Japão e muitos deles devem se deslocar para as cidades de Nagoya e Yokohama, locais das partidas.

Para facilitar a vida do corintiano que vai ao Japão, o consulado distribuirá a partir da próxima semana 20 mil cartilhas com dicas de segurança, restaurantes, acessos aos estádios, vocabulário, telefones úteis, compras e mapas do sistema de transporte público. "O Japão é um país com muitas regras de cortesia, formado por um povo muito ordenado e os brasileiros precisam ser orientados sobre isso", disse ao Estado o cônsul-geral do Brasil em Tóquio, Marco Farani.

O torcedor será orientado até mesmo sobre como deverá se comportar durante as partidas. Será proibido, por exemplo, sentar fora das cadeiras, pular em cima dos assentos ou se pendurar nos alambrados e muretas, algo que muitos corintianos estão acostumados a fazer nos estádios brasileiros.

Parte das cartilhas será distribuída pelas agências de viagem no Brasil. Outra fatia deverá ser entregue pelo serviço de imigração japonesa no momento que o torcedor entrar no país. "Nossa preocupação maior é com quem visitará o Japão pela primeira vez. Apesar de ter muito brasileiro morando aqui, o país não é destino turístico dos brasileiros por ser muito longe, então resolvemos preparar esse guia para o torcedor", explica Farani.

Nas próximas semanas, funcionários do consulado devem ter reuniões com representantes do Corinthians, da Fifa e da Câmara de Comércio Brasil-Japão. A ideia é alinhavar a melhor estratégia para receber os torcedores. "Estamos tentando colocar um carro com motorista e funcionários no hotel onde a delegação do Corinthians vai ficar. Devemos fazer a mesma coisa nos hotéis que concentrarão a maior parte dos torcedores porque temos a informação que alguns hotéis serão totalmente bloqueados para a torcida do Corinthians", disse Farani.

O serviço consular também trabalhará de forma diferenciada durante o Mundial de Clubes. O plano é ter no consulado sempre uma pessoa de plantão além de divulgar aos torcedores os números dos telefones celulares dos funcionários em caso de emergência. "O consulado estará de prontidão e à disposição nos dias que o torcedores estiverem aqui", disse Farani.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.