John Froschauer/AP
John Froschauer/AP

NFL sofre com aumento de casos de jogadores com covid-19 após intensificar testes

Cornerback do New England Patriots, Stephon Gilmore está entre os atletas confirmados nos testes desta semana; mais dois resultados positivos no Tennessee Titans colocam em dúvida o jogo de domingo contra o Buffalo

Ken Belson e Ben Shpigel, The New York Times

09 de outubro de 2020 | 08h01

Pela segunda semana consecutiva, a NFL está encarando as consequências dos testes de coronavírus positivos, uma ameaça concreta à decisão de jogar a temporada de acordo com a programação da liga. Enquanto a maior parte da liga treinava na quarta-feira, como de costume, surgiram desdobramentos mais desanimadores no New England e no Tennessee. O cornerback Stephon Gilmore, estrela dos Patriots e melhor jogador defensivo da liga no ano de 2019, revelou que testou positivo, apenas quatro dias depois da confirmação do diagnóstico do quarterback do time, Cam Newton. Em Nashville, mais dois jogadores do Titans testaram positivo, subindo para 22 o total de atletas e funcionários da equipe que contraíram o vírus desde 24 de setembro.

Os testes positivos foram anunciados dois dias após a liga colocar em prática novas medidas concebidas para deter a disseminação das infecções, protocolos estabelecidos depois que a NFL se viu obrigada a adiar dois jogos por causa de novos casos.

“Nós temos que continuar fechando qualquer brecha”, disse Allen Sills, diretor médico da liga, na quarta-feira à NFL Network. “É o que a gente diz o tempo todo: ‘ninguém disse que ia ser fácil’. Esse vírus é um adversário implacável. Só precisa de uma pequena rachadura. E, mesmo cumprindo 90% ou 95% dos nossos protocolos, não é suficiente. Não é nota para passar de ano, porque ainda nos deixa um pouco vulneráveis”.

766E3C01-53A8-483E-9B06-CCE0C7108013
É o que a gente diz o tempo todo: ‘ninguém disse que ia ser fácil’. Esse vírus é um adversário implacável
E0EAB005-9061-4B3D-86B9-AEB61693E313
Allen Sills, médico da NFL

A infecção de Gilmore obrigou o time a cancelar o treino da quarta-feira e pôs em dúvida o jogo em casa dos Patriots contra o Denver Broncos no domingo, a segunda vez que o New England pode ter uma partida adiada, depois que o confronto com o Kansas City Chiefs ficou para o dia seguinte por causa dos resultados positivos de Newton e de um quarterback da equipe de treino dos Chiefs, Jordan Ta’amu.

Enquanto os Patriots relataram apenas dois casos confirmados até agora, os Titans estão lidando com um surto muito menos contido. O time agora precisa entregar resultados negativos por dois dias consecutivos para ser liberado para retornar às suas instalações. A liga não autoriza os Titans a realizar treinos presenciais desde o jogo contra o Minnesota Vikings, em 27 de setembro.

O surto inicial dos Titans, relatado após aquele jogo, fez com que a NFL reagendasse a partida da Semana 4 contra o Pittsburgh Steelers para 25 de outubro. A última rodada de testes positivos desta semana coloca em risco o jogo em casa contra o Buffalo, no domingo. / TRADUÇÃO DE RENATO PRELORENTZOU

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.